Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS
Atualidades / Imortais

Conheça os candidatos para as vagas na ABL

Com a volta das reuniões presenciais, a especulação sobre os novos imortais atinge o seu auge e alguns nomes se destacam

Redação Publicado em 21/10/2021, às 11h00 - Atualizado em 22/10/2021, às 20h18

Fernanda Montenegro - Reprodução Instagram
Fernanda Montenegro - Reprodução Instagram

Na última quinta-feira, 21, a Academia Brasileira de Letras reabriu as portas aos imortais. Em meio a tanta saudade, vários deles comentaram sobre a tristeza desses tempos de pandemia e a ausência do tradicional chá dos acadêmicos. 

Porém, mesmo com todos reunidos, o ambiente não é tão cheio quanto antes. Devido ao falecimento de alguns acadêmicos, a Casa está com cinco vagas abertas, coisa que raramente acontece na centenária Instituição. Com a possibilidade de novos rostos na Academia, as especulações estão a todo vapor. 

Entre tantos nomes, a primeira, que deverá ser eleita no início de novembro, é a grande dama do teatro Fernanda Montenegro. Apesar de sua bela carreira, muitos criticam essa escolha, dizendo que ela não é uma escritora. Mas é importante lembrar que ela passou a vida dando voz à palavra no teatro, no cinema e na televisão. 

Outro que está dado como eleito é Gilberto Gil. Mesmo não sendo propriamente um autor de muitos livros, ele é um dos maiores compositores que temos. Como exemplo da grandiosidade que a música tem, relembramos Bob Dylan, compositor que ganhou o Nobel da Literatura de 2016. 

Outros nomes que estão sendo cogitados para engrossar as fileiras dos imortais são José Paulo Cavalcanti, especialista em Fernando Pessoa, que concorre à vaga de Marco Maciel, pernambucano como ele. 

Isso sem contar Gabriel Chalita, um dos mais jovens a tentar a academia. Este tem a seu favor a sua extensa lista de obra de livros publicados e traduzidos, e o fato de já ter presidido a Academia Paulista de Letras, também centenária. 

Gabriel Chalita

Além dos já citados, Paulo Niemayer, um dos maiores neurocirurgiões do país, disputa um espaço na Casa — lembrando que é uma tradição da Academia de sempre ter um médico entre os seus membros. 

Paulo Niemayer

Por fim, mas não menos importante, há também um indígena candidato: Daniel Munduruku, que, se eleito, será um porta-voz dos primeiros habitantes do nosso Brasil. 

O que se espera é que até o final de dezembro a Academia Brasileira de Letras faça suas escolhas e, então, seu quadro se complete com os 40 imortais.