Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / REFLETINDO

Christiane Torloni relembra juventude e celebra trajetória: "Alegria e transformação"

Em entrevista à CARAS, Christiane Torloni falou sobre experiências do passado e importância da CARAS na comunicação brasileira

por Surenã Dias

sdias_colab@caras.com.br

Publicado em 08/12/2023, às 19h20

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Em homenagem à CARAS, Christiane Torloni relembrou histórias que viveu aos 30 anos - Foto: Acervo CARAS
Em homenagem à CARAS, Christiane Torloni relembrou histórias que viveu aos 30 anos - Foto: Acervo CARAS

A atriz Christiane Torloni (66) é uma das artistas que tem uma ligação muito próxima com a revista CARAS. Nesta última segunda-feira, 4, ela esteve na festa que celebrou os 30 anos da publicação, a qual ela já estampou diversas capas. 

Em bate-papo com o jornalista Daniel Palomares, a artista relembrou histórias do passado e refletiu sobre experiências marcantes que viveu aos seus 30 anos. Segundo ela, foram momentos de muita "alegria e transformação".

"Meus 30 anos foi quando eu fiz o Lobo de Ray-ban, estreamos aqui em São Paulo com Raul Cortez um espetáculo espetacular, ganhamos todos os prêmios. Também foi a época da Kananga do Japão, na Manchete, foi uma época que eu casei com um artista plástico lindo Luiz Pizarro, um trabalho lindo, expoente da geração 80. Meus filhos lindos brincando, momentos de muita alegria, transformação", declarou.

Sempre muito ligada na política brasileira, ela afirmou que durante seus 30 anos, ela também viveu um momento que poderia ser resgatado no país. "Foi um momento muito democrático do Brasil. Foi uma época muito boa, a gente podia resgatar algumas coisas dessa época", disse.

Leia também: Diogo Almeida abre o jogo sobre sua relação com a moda: 'Gosto de comprar'

Cristiane, que neste ano fez parte do projeto CARAS AMAZÔNIA, aproveitou para relembrar o quanto a revista tem sido um vetor importante de comunicação quanto a assuntos mais humanizados e integrados com as mudanças do planeta. 

"A CARAS de algum jeito está fazendo o caminho contrário [de outras empresas], sacou o pulo do gato e disse assim: 'vou ficar mais humano e a cara do Brasil, a cara da Amazônia'. [A revista] está trazendo o seu público para uma realidade planetária de florestania. Eu só tenho muito orgulho de tudo que eu fiz com vocês e que agora estamos fazendo juntos pelo Brasil, pelo planeta", afirmou.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!