Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / Prisão!

Após quase 3 anos, acusado de matar o ator Rafael Miguel é preso

Paulo Cupertino estava foragido após a morte de Rafael Miguel e os pais dele em 9 de junho de 2019

CARAS Digital Publicado em 16/05/2022, às 17h48

Após quase 3 anos, acusado de matar o ator Rafael Miguel é preso - Reprodução/Instagram
Após quase 3 anos, acusado de matar o ator Rafael Miguel é preso - Reprodução/Instagram

Acusado de matar o ator Rafael Miguel e dos pais dele, Paulo Cupertino Matias foi preso nesta segunda-feira, 16, após quase três anos do crime.

Segundo o portal G1, policiais da 6ª Seccional fizeram a prisão e o encaminharam para o 98º Distrito Policial, no Jardim Miriam, Zona Sul de São Paulo. Depois o preso foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), para realizar o exame de corpo de delito e depois foi para a Divisão de Capturas, no prédio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Centro da capital paulista, onde ficará à disposição da Justiça.

Assim que chegou ao prédio do DHPP, Cupertino negou os crimes. "Eu sou inocente. Não matei ninguém", afirmou ele.

Ainda segundo a publicação, o delegado da 6ª seccional informou que a equipe de policiais receberam uma informação de que o procurado estaria na capital paulista, foram checar e o encontraram. Cupertino estava incluído na Difusão Vermelha da Interpol, Cupertino era o primeiro nome da lista dos criminosos mais perigosos e procurados de São Paulo.

O Ministério Público (MP) informou que Paulo Cupertino assassinou Rafael e sua família porque não aceitava o namoro de sua filha, Isabela Tibcherani, que tinha 18 anos na época, com o ator. Vídeos gravados por câmeras de segurança mostram o momento em que o empresário atira 13 vezes no artista, que tinha 22 anos, e nos pais dele, João Alcisio Miguel, de 52, e a mãe Miriam Selma Miguel, 50.

Cupertino é acusado de triplo homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas.