Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS
Atualidades / Família

Aline Borges, a Zuleica de Pantanal, mostra fotos raras da filha, Nina

Intérprete da Zuleica na novela Pantanal, Aline Borges celebra o aniversário da filha, Nina, e abre álbum de fotos com momentos do crescimento da herdeira

CARAS Digital Publicado em 08/07/2022, às 11h52

Aline Borges - Foto: Reprodução / Instagram
Aline Borges - Foto: Reprodução / Instagram

A atriz Aline Borges (47), que interpreta a Zuleica no remake da novela Pantanal, da Globo, explodiu o fofurômetro das redes sociais ao mostrar fotos raras da filha, Nina (11), fruto do casamento com Alex Nader (46). A mamãe coruja celebrou o aniversário de 11 anos da herdeira com uma homenagem especial.

Ela relembrou fotos do crescimento da filha ao longo dos anos e falou sobre a importância dela em sua vida.

"11 anos de mais tudo!!! É amor que transborda minha pintinha! Hoje é dia de celebrar, agradecer e inundar ainda mais o caminho desse pontinho de luz da nossa vida! Te amo pra além daqui filha! Te honro e te agradeço por ser tudo que vc é pra nossa vida!!! Tua existência deixa a vida com muito mais sentido! Feliz aniversário preciosa!!! Axé borboleta azul! Te promete te cuidar sempre, com todo amor que nem cabe no peito!! Viva Ninocaaaaaa!!!", disse ela na legenda. 

Saiba mais sobre quem é a personagem Zuleica no remake da novela Pantanal

Recentemente, a atriz Aline Borges deu mais detalhes sobre a história de Zuleica na novela Pantanal. "A Zuleica é uma mulher como tantas e tantas mulheres, cheia de conflitos, dualidade permeando a vida dela o tempo todo. É uma mulher íntegra, criou os três filhos praticamente sozinha. Muita coisa vai acontecer ao longo do caminho, no arco dramático dela. Ela é uma mulher muito forte, que reconhece suas dificuldades, seus limites, mas que não entrega o jogo. Segue na resistência", disse ela. 

Aline Borges também contou sobre os bastidores de sua gravação no Pantanal. "Não conhecia o Pantanal e quando fui na primeira viagem para gravar, tive uma crise de pânico antes do avião decolar, no Rio de Janeiro. Eu nunca havia tido nada parecido. Não entendi bem na hora, mas hoje, olhando o que aconteceu, entendo que não se tratava apenas de estar sozinha, viajando de avião, mas sim de tudo que esse momento significa. Estou dando um grande passo na minha carreira, fazer parte dessa novela é um marco que vai ficar para sempre. Então, entendo que foi um somatório de coisas. O medo desse passo novo, o uso das máscaras, a gente veio de uma pandemia muito traumática, enfim, foram vários fatores. Cheguei a sair do avião, chorei muito lá fora, mas decidi voltar. Olhei pra ele e decidi que seguiria meu caminho. A gente tem medo de crescer na vida, então olhar para esse medo, colocar luz nele, já foi o início da cura. Não é só sobre o medo de andar de avião, mas o medo do novo passo. Isso bate em todos nós, em todo mundo que é humano", afirmou.