Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Xuxa Lopes supera pudores no teatro

Ela une aptidão e polêmica em Crônica da Casa Assassinada

Redação Publicado em 20/09/2011, às 18h47 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Antes de entrar em cena para estreia de Crônica da Casa Assassinada, em SP, Xuxa Lopes finaliza make. - João Passos
Antes de entrar em cena para estreia de Crônica da Casa Assassinada, em SP, Xuxa Lopes finaliza make. - João Passos

Após sucesso nos palcos cariocas, a peça Crônica da Casa Assassinada chega à capital paulista e promete conquistar fãs de dramas. Estrela da peça dirigida por Gabriel Villela (51), Xuxa Lopes (57) confessa que venceu pudores ao dar vida à carioca Nina, que tem um caso amoroso com o filho André, interpretado por Pedro Henrique Moutinho (31), e é a responsável por abalar os valores morais de uma família mineira. “Foi difícil, mas eu pensava: ‘É ficção, vamos.’ Hoje, estou mais relaxada para falar sobre o tema, que é muito forte”, diz a atriz, que soma quase 30 anos de carreira. “André vive uma dualidade entre a sua realidade e os seus valores religiosos”, emenda Pedro, que, como a brilhante Xuxa, lida bem, inclusive, com as cenas de nudez. “Se eu fosse mais novo, talvez, ficasse preocupado. Ficar nu não é a parte mais difícil, há falas que são bem mais complexas”, garante o ator.

Baseado no romance de Lúcio Cardoso (1912-1968) e com vibrante adaptação de Dib Carneiro Neto (50), a produção ainda conta com Flávio Tolezani (33) e outros talentos. “É um texto forte, algo que choca. Li o livro assim que surgiu o convite. Dib conseguiu resumir bem a história”, conclui Flávio.