Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Veja o que deve fazer para não ter problemas de saúde na África do Sul

por Artur Timerman* Publicado em 31/05/2010, às 14h21 - Atualizado às 14h22

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Veja o que deve fazer para não ter problemas de saúde na África do Suls
Veja o que deve fazer para não ter problemas de saúde na África do Suls
Se você vai à Copa, na África do Sul, junte à bagagem o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), que comprova que se vacinou contra a febre amarela. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alerta que é preciso ter esse papel para voar para o país africano. A febre amarela é uma doença viral endêmica no Brasil, América Latina e África. A vacina deve ser tomada no Posto de Saúde dez dias antes da viagem e tem validade de 10 anos. Na África do Sul, alerta a Anvisa, o viajante deve ficar atento para evitar problemas de saúde e poder aproveitar a Copa. Os perigos, segundo a Organização Mundial de Saúde, são: gripe A (H1N1), cólera, malária, sarampo, febre tifoide, febre do Rift Valley e as hepatites A e B. Veja o que é e como se manifestam essas doenças: l Gripe A (H1N1). Na Copa será inverno no Hemisfério Sul. Os vírus da gripe, como se sabe, são mais difundidos nos meses frios, pelo fato de as pessoas ficarem mais aglomeradas em ambientes fechados. Sintomas: febre, malestar, dor muscular e de cabeça e dificuldades respiratórias. Quem não se vacinou na campanha do Ministério da Saúde pode imunizar-se agora nas clínicas particulares. l Cólera. É causado pela bactéria Vibrium colerae, adquirida por via oral ao se ingerir água ou alimentos contaminados com fezes. Sintomas: febre baixa, náuseas, vômitos e, nos casos mais graves, diarreia intensa. l Malária. É causada por parasito chamado plasmódio, que vive no sangue de animais e humanos doentes. É transmitida de uma pessoa para outra, em geral ao entardecer, por um mosquito. Sintomas: febre, calafrio e suor. l Sarampo. Foi erradicado das Américas, mas continua fazendo vítimas em parte daEuropa, África e Ásia. É causado por vírus, contraído de secreções expelidas ao se tossir, respirar ou falar. Sintomas: febre, manchas avermelhadas no corpo, tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite. Quem não sabe se é vacinado pode ir a um Posto de Saúde e imunizar-se. l Febre tifoide. É causada pela Salmonela typhi, contraída ao se ingerir água e/ou alimentos contaminados com fezes. Sintomas: febre, dor de cabeça e abdominal, dores pelo corpo, fadiga, perda de apetite, náuseas e alteração do trânsito intestinal. l Febre do Rift Valley. É causada por vírus, que vive em animais e humanos doentes e passado a pessoas sadias por mosquitos. Sintomas: febre, dor de cabeça, dores musculares, rigidez na nuca, fotofobia e vômitos. l Hepatite A. É causada por vírus contraído ao se ingerir líquidos e alimentos contaminados com fezes. Sintoma na criança: amarelão discreto. No adulto: amarelão intenso, febre, dor abdominal, vômitos, letargia. Tem vacina. l Hepatite B. O vírus é adquirido nas relações sexuais desprotegidas ou pelo contato com sangue de doentes. Tem vacina. Você pode evitar essas doenças com algumas medidas. Tome as vacinas contra as hepatites, gripe comum, gripe A (H1N1) e sarampo. Escolha hotéis com ar condicionado ou que tenham nas janelas proteção contra mosquitos. Se for fazer safári e/ou visitar parques, proteja-se dos mosquitos. Lave as mãos com água e sabão frequentemente. Tome só água tratada. Não consuma alimentos malpassados nem crus. Leve remédios para os problemas do dia a dia. Com isso, você tornará sua viagem tranquila e, se o Brasil for campeão, inesquecível.