Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

TOMATE HOLANDÊS

TOMATE HOLANDÊS

CARAS Digital Publicado em 03/08/2006, às 13h19 - Atualizado em 17/01/2019, às 16h13

TOMATE HOLANDÊS
TOMATE HOLANDÊS

Tomate é fruta ou legume? A dúvida, originada em função de questões tributárias (legumes eram taxados, frutas não), foi resolvida na Suprema Corte norte-americana, em 1893. O tomate é um fruto, embora utilizado como legume - denominação comercial e culinária para frutos comumente preparados com sal. Nasce do tomateiro (Lycopersicon sculentum), da família das solanáceas, com origem provável nas regiões andinas do Peru, da Bolívia e do Equador. Considerado afrodisíaco, começou a ser cultivado no México, de onde foi levado para a Europa, no século XVI. Ornamentou jardins da Espanha, da Itália, da Inglaterra e França, país onde recebeu o nome de pome d'amour (fruto do amor). Os italianos conheceram primeiro o tipo amarelo e, por isso, chamaram-no pomo d'oro, depois pomodoro. A palavra tomate deriva do asteca tomatl. Hortaliça entre as mais cultivada em todo o mundo, tem centenas de variedades. Sob o nome "tomate holandês" agrupamse as vendidas em cachos. Plantadas no Brasil desde 1996, antes eram importadas da Holanda (daí o nome), além da França, da Espanha e dos Estados Unidos. Os frutos têm de 40 g a 130 g, mas a maioria fica nos 90 g. Além dos vermelhos, mais comuns, existem amarelos e laranjas. Colhidos maduros, são doces e perfumados. Na cozinha, podem ser usados como todos os outros tomates - assados ou em molhos e saladas - e também, pelo fato de ser tão bonito e doce, em saladas de frutas (sem as sementes) e tortas doces (sem a pele). Receitas, produção e estilismo culinário: Maria Luiza de Brito Ctenas. Pesquisa de texto e informações nutricionais: Neide Rigo, nutricionista. Veja receitas clicando nas imagens abaixo:

Saúde

É ruim para Ser consumido em excesso por quem sofre de gota, pois contém ácido oxálico; ser consumido cru e com sementes por quem faz dieta com restrição de potássio. É bom para Proteger o organismo contra doenças, pela presença do licopeno (no vermelho) e do betacaroteno (no amarelo e no laranja), que são antioxidantes.

Ficha técnica

100 g de tomate holandês cru contêm: Calorias - 21 Proteínas - 0,886 g Carboidrato - 4,34 g Fibras - 1,75 g Carotenos - 62 RE Vit. B1 - 0,60 mg Vit. B2 - 0,05 mg Vit. B6 - 0,076 mg Niacina - 0,599 mg Vit. C - 17,5 mg Vit. E - 0,699 mg Cálcio - 7,31 mg Cobre - 0,077 mg Ferro - 0,479 mg Fósforo - 22,7 mg Magnésio - 11,3 mg Potássio - 207 mg Sódio - 8,13 mg

Como se escolhe

O tomate holandês é achatado e em geral de tamanho médio, embora seja possível encontrá-los pequenos ou grandes. Mais caros que os comuns, são vendidos em supermercados que oferecem produtos para gourmets, além de algumas feiras e sacolões. Vêm em cachos ou pelo menos com a sépala (a estrelinha no topo). Devem ter coloração vermelha, amarela ou laranja forte. Não pode apresentar manchas verdes, porque seu amadurecimento deve se dar no pé. Ramos verdes indicam que os frutos foram colhidos há pouco tempo e estão bem frescos. Evite se estiverem murchos ou secos.

Como se prepara

Como o tomate holandês é comprado maduro e fica mais saboroso em temperatura ambiente, o ideal é guardá-lo fora da geladeira. Se não for consumir logo, deixe-o na parte de baixo do refrigerador. Embora seja ótimo cru, pode ser usado em qualquer receita que leve tomate. Para retirar a pele, faça um risco em cruz, com a faca, na extremidade oposta à do cabo. Deixe por cerca de 2 minutos numa panela de vapor e puxe a pele. Como o tipo vermelho contém licopeno, pigmento antioxidante solúvel em gordura, procure servi-lo com azeite de oliva para facilitar a absorção pelo organismo.

Minha receita

Flávia Lippi (apresentadora do Repórter Eco, da TV Cultura)Flávia Lippi (apresentadora do Repórter Eco, da TV Cultura) Uso o tomate holandês no meu charuto de ricota e fica ótimo. Pique em pedaços miúdos 3 fatias de ricota, 1 tomate, 1 cebola e 3 ramos de salsa. Misture tudo. Junte 1 col. (sopa) de arroz cozido e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Misture de novo. Afervente algumas folhas de repolho. Monte os charutos com o recheio de ricota e reserve. Faça o molho: em 2 col. (sopa) de azeite, refogue 1 cebola e 2 alhos, ambos bem picados. Junte 4 tomates picados, 2 col. (sopa) de molho inglês e outros temperos de sua preferência. Quando estiver espesso, adicione os charutos com cuidado. Aqueça para servir.