Thiago Martins rejeita rótulo de galã

por Aline Cebalos

Publicado quinta 7 maio, 2009

Thiago Martins e Fernanda Paes Leme - Arquivo CARAS
Ele tem apenas 20 anos de idade, mas já acumula trabalhos importantes no currículo. Thiago Martins, que ingressou na carreira artística depois de integrar o grupo Nós do Morro, projeto social feito com moradores da comunidade do Vidigal, no Rio, já começa a se preparar para mais um desafio. O ator foi convidado para viver Marcelo D2 no filme O Anjo da Lapa, de Johnny Araújo, que começa a ser rodado em 2009. "Estou superfeliz, com um roteiro superbacana nas mãos. É uma história digna, bonita mesmo", diz ele, que já atuou nos longas Cidade de Deus, Maria, Mãe do Filho de Deus e Era Uma Vez, entre outros trabalhos no cinema, na TV, no teatro e com sua banda, a Guerreiros de Jorge. "Vou me entregar de corpo e alma. Farei com o coração", garante o rapaz. Além de versátil, Thiago também mostra que soma muitas outras virtudes, entre elas a humildade e a garra. Durante conversa com o Portal CARAS, o ator, namorado da também atriz Fernanda Paes Leme, fala como surgiu o convite para o novo trabalho e conta que não tem grandes pretensões de se tornar um galã. - Como foi o convite para participar do filme como o D2? - Na verdade, eu fiz o filme Era Uma Vez, escrito pela Patrícia Andrade, que também está assinando este filme do D2, com Nelson Motta. Ela me disse sobre um projeto que estava tocando para 2009 e que gostaria que eu participasse. Com isso, acabei sendo convidado para fazer a primeira leitura do texto e, depois de uns três meses, o diretor Johnny Araújo, que já tinha elogiado meu trabalho, telefonou dizendo que tinha tido uma intuição de que eu deveria fazer o filme. Marcamos um encontro no estúdio do Marcelo, aí pude conhecê-lo melhor. Seu Jorge, que também atua no filme, estava lá. Foi um momento incrível. - Do que se trata a história? - Não é uma biografia do Marcelo. O filme conta a história de amor e respeito entre dois amigos, que se juntam para tentar viver dignamente através da música. É baseado na história do Marcelo D2 e do Skank, um amigo dele que já faleceu, mas não chega a ser uma biografia. - Você aceitou o trabalho de pronto, então? - Sim. Topei na hora, sou super fã do Marcelo. Sem falar do roteiro, que é incrível. O Nelson (Motta) é demais, uma pessoa absurda, muito talentoso. E a Patrícia também. Estou muito feliz. Cinema é um mundo muito mágico, do qual não quero sair tão cedo. - Quem mais está no elenco? - Por enquanto, três pessoas estão confirmadas: eu, o João Miguel e o Seu Jorge. - Quando começam as filmagens? Onde serão feitas? - Isso é para o ano que vem. Devemos começar a filmar nos primeiros meses de 2010, no Rio de Janeiro. O filme vai mostrar a Lapa dos anos 90, na época do carnaval de rua. Agora estamos na fase de captação de recursos. - O que está fazendo para 'incorporar' este personagem? - Nesse momento estou acompanhando o Marcelo em alguns shows, mas por enquanto é uma coisa informal. Ainda não chegou a hora de eu começar a me preparar a fundo. Devo ter outros trabalhos ainda neste ano para a TV. A partir de setembro e outubro que me dedicarei mais ao filme. Temos todo um tempo ainda. - Quais são estes trabalhos que citou para a televisão? - Devo fazer novela ainda este ano na Globo, mas não sei qual. Também pretendo voltar com a peça Os Dois Cavalheiros de Verona, do Nós do Morro. Sem falar da minha banda, que está bombando. - Que você é fã de música não é novidade, mas é fã do D2? - Sou fã, sim, sua música é muito forte no Brasil, tem uma galera que se identifica muito, e agora estou me identificando também. Ele é do bem, tem todo um lado pai, responsável... Não o admiro só como artista, mas como homem. - O que prefere entre cantar, fazer novela, teatro ou TV? - Gosto de fazer tudo, mas minha formação é de teatro. TV e cinema foram consequências que graças a Deus aconteceram na minha vida. - Aonde pretende chegar na vida profissional? Tem o sonho de ser um galã da novela das 8, por exemplo? - Não. Isso pode vir a acontecer, mas não tenho este sonho. Quero continuar vivendo dignamente com a arte, podendo trabalhar, fazer cinema, teatro, TV, seguindo minha trilha, estudando e renovando sempre. Ser um galã ou um astro da Broadway serão consequências de um trabalho que venho fazendo há 16 anos com o Nós do Morro.

Último acesso: 01 Jun 2020 - 05:15:49 (124711).