Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

'Era um grande prazer sexual para os homens', diz Thammy sobre ter sido símbolo sexual

Thammy Miranda revela como conseguiu se desvencilhar do título de símbolo sexual

Redação Publicado em 26/04/2013, às 15h06 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Thammy Miranda diz que não se sentia bem como símbolo sexual - Reprodução / TV Globo
Thammy Miranda diz que não se sentia bem como símbolo sexual - Reprodução / TV Globo

Thammy Miranda(30), a Jô de Salve Jorge, está mexendo com a imaginação dos marmanjos ao dançar ao som de Conga, Conga, Conga, sucesso cantado por sua mãe, a cantora Gretchen (53). “Eu olhava no espelho e não gostava do que via. Não adianta ser prazer para muitos homens e não ser para mim. Por isso escolhi me fazer feliz primeiro”, declarou a atriz sobre o período que dançava com a mãe.

Durante as gravações do Altas Horas que vai ao ar neste sábado, 27, Thammy também revelou que não tem a dimensão do que está acontecendo com seu trabalho na televisão. “Não sou atriz formada, mas graças a Deus foi dando muito certo. Tenho uma vantagem muito grande, porque posso fazer papel de homem, de mulher, de tudo. Faço qualquer coisa”, explicou.

Recentemente, a atriz se emocionou com o depoimento de Gretchen no Domingão do Faustão e comentou sua homossexualidade. “Muitas vezes não é uma opção, é uma condição. Se a gente fosse escolher, ninguém iria escolher passar por preconceito”.