Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Susana Vieira e Sandro Pedroso: Brinde ao amor

Na Ilha de CARAS, ela diz que relação com o ator fez despertar sentimentos antigos de carinho

Redação Publicado em 07/06/2010, às 18h20 - Atualizado em 11/06/2010, às 14h31

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Juntos há quase um ano e meio, Susana e Sandro namoram no ofurô. Apaixonados, eles garantem que a diferença de idade é ofuscada por muitas afinidades. - CADU PILOTTO
Juntos há quase um ano e meio, Susana e Sandro namoram no ofurô. Apaixonados, eles garantem que a diferença de idade é ofuscada por muitas afinidades. - CADU PILOTTO
Aos 67 anos, Susana Vieira a firma com orgulho que nunca faltou coragem para recomeçar. "Depois de tudo que passei na vida, nada mais me fragiliza. Só fortifica. Não sigo preceito nem tenho preconceito, principalmente por ser atriz. Desde o momento em que vi o Sandro e o beijei, nunca pensei na idade que ele tinha", revela, citando o ator Sandro Pedroso (26), com quem começou a namorar no carnaval de 2009. Seguro do seu amor, ele garante que, desde o primeiro momento, viu a Sonia, referindo-se ao nome de batismo de Susana. "Ela, na frente de determinadas pessoas, impõe uma barreira muito forte. Mas é muito boa de coração", ressalta o ator, que deseja montar uma peça de teatro com a amada. - Sandro, como você conseguiu separar a mulher do mito? Susana - Sandro nunca me viu dessa maneira, como um mito. Sandro - Óbvio que conhecia Susana, sabia quem era, mas nunca fui noveleiro. Engraçado que existe essa redoma em volta da Susana Vieira, as pessoas têm medo de chegar perto. Mas a conheci no dia em que fui entrevistá-la em um ensaio da Grande Rio, parece que uma barreira se quebrou. Susana - O namoro é normal, sem mitificações. Ele não me amava da TV. Não foi um bumbum nu que o deixou louco. Foi um encantamento. Não se apaixonou pelo mito, até porque o mito já estava tratando ele mal na entrevista da Grande Rio (risos )... - Você lida bem com essa experiência que vem com Susana? Sandro - Só tive uma namorada, com quem fiquei cinco anos, mas minha vivência vem de cedo. Saí do Paraná de carona com meu irmão, vendi água no sinal. Sou muito tranquilo, a vida anterior da Susana não me abala, mas sou muito mais ciumento do que ela. Susana - Graças a Deus. Já imaginou eu com mais ciúme do que ele? Se tivesse ciúme todas as vezes que fosse namorar uma pessoa mais jovem, já teria partido para outra há muito tempo. Meu maior desejo é ser feliz, passar tranquilidade. Se fosse me desestabilizar por causa de um rapaz jovem, iria gostar do meu avô então... porque em primeiro lugar sou eu, a coisa mais importante é minha saúde: física, mental e espiritual. Estando bem, posso ser boa mãe, avó, atriz, funcionária, amante e namorada. Não é que eu só namore pessoas mais jovens, é que tenho bem mais afinidades com pessoas descontraídas, descomplexadas, sem ex-mulheres e sem o rabo dos filhos. Sandro - Podem falar à vontade, mas estou tranquilo. Não existe isso de namorar alguém que você não goste, ninguém aguenta. - Susana, o que o Sandro tem que conquistou você? - Á primeira vista, foi a beleza. Mas confesso que, quando o conheci, não estava à procura. Fui curtir o carnaval e não imaginava que no fim da noite alguém fosse me beijar. Passamos uma semana namorando pelo telefone, o que nos aproximou. Ficamos que nem criança, sem aquela preocupação de parecer mais jovem, mais magra. Não precisei me vestir de gostosa, ficar fazendo pose. Não fui criada assim. E Sandro entendeu. Sempre me mandou mensagens lindas, me trata com muito carinho. Há muitos anos não passava por isso, a gente vai ficando mais prática, passando por cima, ou encontrando pessoas mais grosseiras, não sei. Esse cuidado fez despertar em mim uma menina que já devia estar há muito tempo calada, quieta, não estava sendo adoçada, acarinhada. Sandro - Os amigos falam que o olhar dela está diferente. Quem convive com a gente vê que não tem diferença de idade, acham muito normal a existência do casal, constatam nosso entrosamento e nossas afinidades. - E quais são? Susana - Podemos tanto ir para a academia como ficar em casa assistindo ao Discovery na TV. - Vocês já moram juntos? Susana - Não tem por que não viver junto com a rotina que a gente leva. Sandro tem o apartamento dele, mas não acredito em namoros modernos de cada um sair com seus amigos. Acordamos juntos todos os dias. O assédio existe e Sandro nunca foi tão paquerado. Mas ele me despreocupa muito. - Vocês usam anel de compromisso. Pensam em oficializar? Sandro - A gente vive o momento e não o tempo. Susana - Essa frase é dele. Eu tenho completa noção das coisas da vida. Sandro tem 26 anos, não acho necessário a gente casar oficialmente. Ele vai casar sabe Deus com quem, ter filhos sabe Deus com quem. A gente não pensa. E não quero pensar que no futuro não estarei com ele, quero ficar ao seu lado por muitos anos, estou tranquila, equilibrada, bem tratada... - Você comprou um apartamento novo. Fazem planos de se mudar? Susana - Vivo em uma casa de seis andares, com oito empregados e Sandro está novo, não posso dar a ele essa responsabilidade. Sou workaholic, tenho que estar em agitação permanente e quero simplificar a vida. Algo romântico aconteceu em mim: o amor. E podemos ser felizes naquele cantinho. Vou fazer um escritório, um quarto e uma rede, de frente para o mar. Seremos nós e nossos cachorros.