Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Sthefany Brito supera limites na 'Dança dos Famosos'

Uma das concorrentes da 'Dança dos Famosos', Sthefany Brito se acha 'meio desengonçada' e diz que tem testado seus próprios limites. Aos 25 anos, a atriz se considera mais madura e afirma que está muito feliz com o namorado, o estudante Igor Raschkovsky

Redação Publicado em 29/07/2012, às 10h35

Sthefany Brito - Paulo Mumia
Sthefany Brito - Paulo Mumia

Assim que chegou à sala de ensaios da Central Globo de Produções, dois dias antes da apresentação que fará hoje - domingo 29 - no quadro Dança dos Famosos, do Domingão do Faustão, Sthefany Brito (25) mostrou o muque para o professor e companheiro de dança Leandro Azevedo (30). A atriz está feliz com sua performance no programa e diz que seu corpo ficou mais definido com os treinos. Para quem se acha “meio desengonçada” e acreditava que não ia conseguir ficar muito tempo na competição, a permanência no quadro tem se mostrado uma superação de seus próprios limites. “Achava que não levava jeito. Mas a gente vai se descobrindo, vai testando seus próprios limites”, diz.

E superação é uma palavra que Sthefany conhece bem. Depois de um casamento de conto de fadas com o atacante Alexandre Pato (22), em 2009, a atriz soube dar a volta por cima quando enfrentou uma separação nove meses após ter subido ao altar com o atleta. Voltou a trabalhar e há um ano namora o estudante Igor Raschkovsky (22). “Estou muito feliz”. Mais madura, ela ressalta que sua filosofia é buscar a felicidade e, apesar da experiência que viveu com um casamento relâmpago, afirma que acredita no amor. “Temos que procurar a felicidade sempre, independente do que aconteça na vida da gente”, declara.

- Você acaba de completar 25 anos e já passou pela experiência de um casamento e uma separação. Sente-se mais madura?

- Claro, mas é natural, a gente vai envelhecendo e amadurecendo, tem as diferenças de vida. Se for comparar com um tempo atrás, estou mais madura e acho ótimo. A cabeça vai mudando, vai dando valor a coisas pequenas, que antes achava que não precisava, não tinha importância.

- Pensa em se casar novamente ou ficou algum trauma da primeira experiência?

- Imagina! A gente tem que ser feliz, que traumatizada o quê. Temos que procurar a felicidade  sempre, independente do que aconteça na vida da gente, tudo é válido sempre para adquirir experiência e maturidade. Acredito no amor, não necessariamente no casamento, se envolve casamento acho lindo. Estou muito feliz.

- Continua namorando o Igor?

- Sim, já tem um ano.

- Após a separação você voltou a morar com seus pais.  Tornou-se mais responsável após essa experiência?

- Sempre fui muito responsável com as minhas coisas. Como comecei a trabalhar muito cedo, foi uma coisa que ganhei, algo muito bom, desde muito novinha tenho minhas responsabilidades. Não mudou muita coisa, morar sozinha ou com meus pais, minha responsabilidade é a mesma. Mas gosto de cozinhar... Não sou boa cozinhando, mas tento, procuro umas receitas na internet para fazer.

- O que você faz?

- Amo risoto, estou sempre procurando receitas, é o que mais gosto. Receitas fáceis! (risos)

 - Você ficou afastada da tevê. Como se sentiu ao voltar a atuar em A Vida da Gente?

 - É o meu lugar, onde sempre estive, a coisa mais normal do mundo. Depois do primeiro dia de gravação, parecia que tinha gravado um dia antes. Não senti que foi tanto, tem gente que fica um tempo fora e é normal, não casa, não separa, faz pra descansar a imagem, é uma coisa natural no nosso meio. Foi o mesmo prazer de sempre.

- O que está achando de participar da Dança dos Famosos?

- Uma experiência muito diferente, completamente surpreendente. Achei que ia sair logo, que não fosse conseguir, via as pegadas e pensava que era impossível, sou meio desengonçada, achava que não levava muito jeito. Mas a gente vai se descobrindo, vai testando seus próprios limites. O Leandro chega com uma pegada e quer que eu faça, penso que não vou conseguir, tenho que me jogar pra tentar e quando vejo consegui fazer.

- Já tinha feito dança alguma vez?

 - Não. Fiz quando tinha sete anos de idade, quando minha mãe me colocou no balé e eu era toda errada. Tem um vídeo em que todas as menininhas vão pra direita e eu vou pra esquerda, dando tchau pra minha mãe, mais feliz por tê-la visto que por dançar.

 - Seu namorado te incentiva?

 - Ele acompanha e incentiva muito. Tem uma torcida grande, minha mãe, meu irmão que está estudando em Nova York e vê pela internet, manda mensagens dizendo que não acredita que consegui. É muito gostoso de ver os vídeos.

 - O Igor treina com você?

  - Não rola, estou muito avançada pra ele (risos). Não dá, porque tem muita pegada, é melhor nem treinar que vou chegar aqui no ensaio machucada.

- Já tem outros trabalhos em vista?

- Não, por enquanto, cem por cento dançarina, focada.

 - Além da dança, tem dado tempo de fazer outra atividade, malhar por exemplo?

 - Não. Tinha parado o muay thai e até tentei voltar, mas fiquei muito dolorida e me atrapalhou pra dançar.

  - Você tinha dado uma encorpada. A dança te emagreceu ou manteve o corpo?

  - Não emagreci, senti que manteve, mas definiu muito. A coxa está mais durinha, o braço, até melhor. Não gostaria de ter emagrecido, malhava pra manter e não pra emagrecer. A dança está suprindo bem a malhação, melhor até, porque é mais prazeroso de fazer. Malhar é muito chato.

- É verdade que se sentia frustrada por não ter um corpão?

- Fiz um tratamento pra engordar, engordei cinco quilos, mas engordei errado, fiquei gordinha, com barriga, bochecha, porque sempre fui muito magrinha. É bom por um lado, porque não tenho tendência a engordar, mas por outro estava numa fase em que achava isso muito ruim, porque as minhas amigas já estavam todas mais mulherzinhas, com peito, bunda e eu reta. Depois disso, tive que malhar, foi minha primeira experiência com malhação, por volta de 15 anos, não queria ficar gorda também. Fui ficando com um corpo legal e peguei o gostinho, fui vendo o resultado e querendo cada vez mais e mais.

- Você colocou silicone. Como se sentiu depois da cirurgia?

 - Acho que a gente tem que procurar sempre se sentir bem. Hoje a moda é colocar bunda, eu jamais colocaria, porque tenho o meu biótipo, as pessoas têm que se aceitar. Tanto que o silicone que coloquei foi pouquíssimo, 220 ml, nada pra ficar mulher fruta (risos). Sou super a favor, a gente tem que se sentir bem, à vontade, sou contra extravagâncias. Tem que combinar com seu corpo, nada de querer ter o peito, o nariz igual ao da outra.

- Como é sua alimentação?

- Olha... (risos) Sou um pouco abusada em relação a isso, sinceramente, porque como bastante besteira, o que é errado. Mas quando comecei a fazer a dança, meu apetite aumentou muito, então tive que parar e pensar, não podia sair comendo tudo o que queria, porque a fome dobrou realmente. Gosto muito de salada, amo, então quando saio do ensaio, em vez de devorar um sanduíche ou um pratão de macarrão, que eu comeria, como um pratão de salada, que supre o apetite e está direitinho, é saudável. Tento comer nos horários, não quero virar um balão.

- Gosta de doces?

- Gosto muito, às vezes dá uma vontade de fazer brigadeiro à noite, aí penso “não, tenho que dançar, sou uma dançarina agora” (risos).

Qual a sua dica de beleza?

- Uma coisa que ainda estou aprendendo é a beber muita água. Pensava que isso não mudava nada, mas muda muita coisa, a textura da pele, qualidade de vida. Estou me obrigando, a meta é beber dois litros por dia. Mas o principal mesmo é dormir sem maquiagem, a gente que vive com maquiagem, às vezes dá preguiça, vontade de chegar e deitar na cama, mas no outro dia é outra pele, a minha acorda bem ruim.