Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Serena Ucelli abre seu doce lar

A empresária italiana celebra 30 anos de sucesso no Brasil

Redação Publicado em 22/09/2010, às 01h05 - Atualizado em 27/09/2010, às 14h19

Fundadora do jornal Primeiramão, que em 2010 completa 30 anos, e atual presidente da área digital do Grupo... - MARCO PINTO/ SAVONA
Fundadora do jornal Primeiramão, que em 2010 completa 30 anos, e atual presidente da área digital do Grupo... - MARCO PINTO/ SAVONA
Ela nasceu em Gênova, na Itália, se casou e há 30 anos se mudou com o marido para o Brasil. Em São Paulo, Serena Ucelli (60) fixou residência e fundou ao lado do amado, Franco Ucelli Di Nemi (60), o jornal Primeiramão. "Com um ano de casada, meu marido teve de optar entre Nova York e SP para ser transferido. Escolhemos o Brasil pelo clima tropical. Vir para cá significava poder montar um novo negócio, com a possibilidade de viver intensamente essa natureza deslumbrante", conta. Mãe de Alessia (32), que vive nos Estados Unidos com o filho, Cauê (9), único neto de Serena, e Luigi (24), que mora em Florianópolis, Serena se divide entre as atividades físicas que lhe garantem excelente forma física, os cuidados com a arborizada casa no Jardim Europa e os compromissos como presidente da área digital do Grupo Primeiramão. - Qual o segredo para se manter sempre em forma? - Faço ginástica, corrida, natação, spinning. A atividade ao ar livre é o meu recreio. Sem ela, não teria energia suficiente para o meu trabalho e meus hobbies. Também uso cremes e faço tratamento a base de ácidos para a face. - Que tal trabalhar há 30 anos ao lado do seu marido? - Nossa união é perfeita. No jornal dividimos as funções, até porque temos de responder ao Grupo Bandeirantes de Comunicação, ao qual o nosso jornal pertence. Com isso, temos respeito mútuo e deixamos o lado "marido e mulher" em casa. - Foi difícil conciliar o trabalho com a maternidade? - Quando Luigi nasceu, tive depressão pós-parto e pensei em parar de trabalhar. Hoje, os filhos estão crescidos, não moram mais aqui. Nossos encontros são uma verdadeira alegria. - É verdade que ser avó é melhor do que ser mãe? - Ser avó é ser mãe duas vezes. Cuido do Cauê como cuidei dos meus filhos. Sou avó corujíssima. Quando ele vem para o Brasil, curto cada minuto. - É uma mulher realizada? - Realizo-me a cada missão que enfrento. Olhar ao redor e ver tudo bem, os filhos bem criados, a empresa em ordem me orgulha.