Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

SEGURELHA

SEGURELHA

CARAS Digital Publicado em 17/08/2006, às 14h42 - Atualizado em 17/01/2019, às 16h53

SEGURELHA
SEGURELHA

Da família das labiadas, a mesma das mentas, a segurelha, como suas parentas, é muito aromática. A planta é anual e tem folhas lanceoladas, finas e pontiagudas. Dá pequenas flores rosadas ou brancas no verão e início do outono. Flores e folhas exalam uma fragrância que lembra mais o tomilho, mas às vezes remetem à menta. Originária do sudeste da Europa e norte da África, é plantada atualmente em quase todo o mundo. O óleo essencial, que pode estar em uma concentração de até 2% na erva, é formado de timol (o mesmo encontrado no tomilho), mas em especial o carvacrol (presente no orégano), entre outros componentes que contribuem para o buquê. Na Eslovênia há uma variedade de odor cítrico que lembra o tomilholimão. E existe na região do Mediterrâneo uma espécie perene, a Satureja montana, com sabor e aroma mais fortes que os da segurelha comum, a Satureja hortensis. Depois de cozidas, as duas se equivalem. A segurelha é usada para temperar vegetais e pratos com lentilhas e feijões, pois parece ajudarem sua digestão. Mas fica ótima também em cogumelos, batatas, cenouras e preparações com carnes de vitela, carneiro, porco e peixes. Vai bem ainda com molho de tomate, picles e vinagres aromatizados. No Sul da França, participa da mistura de ervas chamada herbes de Provence, com orégano, tomilho, alecrim e manjerona. E na Alemanha é encontrada em amarrados de erva com salsa, tomilho e louro. Pode, finalmente, incrementar nosso tradicional cheiro-verde (salsa e cebolinha), mais indicado a pratos quentes e saladas. Receitas, produção e estilismo culinário: Maria Luiza de Brito Ctenas. Pesquisa de texto e informações nutricionais: Neide Rigo, nutricionista. Veja receitas clicando nas imagens abaixo:

Saúde

É ruim para Ser fonte importante de nutrientes, pois a quantidade consumida é pequena; e usar com fins terapêuticos: nesse caso, é melhor consultar um médico fitoterapeuta. É bom para Ser utilizada, no lugar do sal, na alimentação de pessoas hipertensas â¬" como é muito aromática, engana o paladar e minimiza a ausência do sabor salgado.

Ficha técnica

100 g de segurelha seca contêm: Calorias - 272 Proteínas - 6,73 g Lipídios - 5,91 g Carboidratos - 68,73 g Vitamina C - 50 mg Vitamina B1 - 0,366 mg Vitamina B6 - 1,810 mg Niacina - 4,08 mg Cálcio - 2132 mg Ferro - 37,8 mg Magnésio - 377 mg Fósforo - 140 mg Potássio - 1051 mg Sódio - 24 mg Zinco - 4,3 mg Cobre - 0,847 mg Selênio - 4,6 mcg

Como se escolhe

Em alguns supermercados ou feiras livres, em especial nas capitais e cidades grandes, a segurelha é encontrada em pequenos amarrados ou já higienizada e embalada em bandejas de isopor. Veja se as folhinhas estão frescas e os galhos, bem tenros. Evite se notar manchas pretas ou se a erva estiver murcha. Em viveiros de mudas ou supermercados é possível comprar a erva em vasinhos. Para durar mais, é só transferir para um vaso maior ou uma jardineira que tome algum sol. Caso não encontre a erva fresca, a seca é uma boa alternativa para pratos cozidos, já que perde pouco da fragrância com a desidratação.

Como se prepara

Pode ser adicionada no início do cozimento, para que passe o sabor ao caldo, mas a fragrância fica menos intensa se cozida por muito tempo. Quando quiser dar destaque ao frescor da erva, melhor juntá-la um ou dois minutos antes de desligar o fogo, ou ainda finamente picada sobre molhos e sopas, só na hora de servir. Para aromatizar vinagre, lave um ou dois galhinhos de segurelha. Deixe de molho em solução para desinfetar verduras. Enxágüe em água corrente e coloque dentro de um vidro. Ferva vinagre de maçã ou de vinho branco. Despeje no vidro. Tampe bem. Guarde na geladeira por umas semanas antes de usar.

Minha receita

Roseli Rossi (nutricionista de Zezé Di Camargo e Luciano)Roseli Rossi (nutricionista de Zezé Di Camargo e Luciano) Indico estes medalhões de filé mignon ao molho de iogurte e segurelha. Tempere 500 g de medalhões com sal a gosto. Reserve por 10 min. Aqueça 1 col. (sobremesa) de óleo de canola em uma frigideira antiaderente. Junte os medalhões. Doure-os. Reserve. Aqueça 1 col. (chá) de margarina light em panela antiaderente e doure 2 dentes de alho picadinhos. Incorpore 1/4 de xíc. de vinho branco seco. Ferva um pouco para evaporar. Junte 1 copo de iogurte light. Mexa. Aqueça sem ferver e desligue. Verifique o sal. Salpique 1 col. (sopa) de salsa picada e 1 pitada de segurelha. Incorpore os medalhões. Aqueça. Desligue. Tampe. Reserve por 5 min. Sirva com o acompanhamento de sua preferência.