Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Se você está sozinho, cuide de si mesmo que o amor vem mais fácil

Leniza Castello Branco Publicado em 15/09/2008, às 14h25 - Atualizado em 10/06/2012, às 22h33

Quando alguém está sozinho, sonha em encontrar uma alma gêmea. Até aí, tudo bem. Mas onde? E como? No consultório, não acreditam quando digo que, se dedicarem a algo de que gostam, aprenderem coisas novas, tiverem prazer mesmo sozinhos, um dia encontrarão sua carametade. Sair, fazer cursos, ir a conferências ajudam, claro. Mas forçar uma situação, saindo sem ter vontade, por exemplo, não vai ajudar muito. Creio que os encontros também são regidos pelo destino e, de um jeito ou de outro, os parceiros vão se encontrar. Veja o que ocorreu com uma amiga. Ela era bonita e já viúva aos 40 anos. Trabalhava muito e quase não saía para se divertir. Achava que iria encontrar alguém e eu, incrédula, disse que iria é acabar sozinha. "Ninguém vai bater em sua porta!", brinquei. Tempos depois nos reencontramos e ela me questionou: "Você se lembra que me disse que ninguém iria bater à minha porta? Bateu." Seu vizinho,que a via saindo cedo para trabalhar, disse que queria de conhecê-la. Casaram e estão felizes. Após esse episódio, fiquei envergonhada por não acreditar no que eu mesma pregava. No pensamento oriental, diz-se que existe uma conexão entre a nossa alma e os acontecimentos exteriores. Há uma ligação sutil entre nós, o universo e as outras pessoas que não se explica em termos de causa e efeito. O importante é ficarmos bem para não atrapalhar o que o universo nos reserva. No pensamento oriental, o tao é o princípio que une tudo que há no mundo. Tudo, da menor partícula ao ser humano, são aspectos de Deus. Precisamos estar em harmonia com o universo para que os acontecimentos fluam. Creio que todos temos uma história para contar sobre alguém que sem querer encontrou um ex-namorado, alguém que resolveu fazer algo e tudo começou a dar certo, como se as coisas estivessem arranjadas. São as coincidências favoráveis, mas existem também as desfavoráveis. O universo é muito mais do que podemos perceber e controlar. O psiquiatra suíço Carl Gustav Jung dizia que todos os seres e objetos estão interligados pelo "inconsciente coletivo". Para ele, nossa alma ou psique interage com o mundo ao redor. Explica assim as coincidências. Por exemplo, alguém sonha com um número, joga na loteria e ganha. Ou está preocupado com um problema e sonha com a solução. Todas essas pessoas falaram em "coincidências" e não se esquecem jamais dos fatos, que podem ser simples ou muito importantes. Tais acontecimentos nos fazem sentir que não estamos sós, fazemos parte de algo maior, que não sabemos explicar, contudo existe. O pensamento ocidental acredita só no que se pode provar. Mas existe mais do que nossa pequena consciência consegue entender. Essa crença pode nos deixar mais serenos, tentando encontrar nosso equilíbrio, nossa verdade e nossa paz. E coisas improváveis ocorrerão. Quando dizemos que Deus escreve certo por linhas tortas, estamos falando de algo que parece negativo a princípio, mas depois se mostra positivo. Então, não devemos insistir em algo que não está dando certo e não sofrer quando ficamos sós, porque tudo muda. Sem que esperemos, alguém bate em nossa porta. Quando parecer que tudo está mal, precisamos ter esperança e viver com humor, alegria e a certeza de que o importante é nosso equilíbrio, nossa paz interior, para que possamos estar abertos às boas surpresas que virão.