Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

S P R I N G / S U M M E R 2 0 0 7 GALLIANO

Convide-se para essa garden-party...

<img src="/imagens/2484/20080918120000_2484_thumbnail.jpg" border="0" alt="Regina Guerreiro" align="left"> Regina Guerreiro Publicado em 22/02/2007, às 17h06

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
S P R I N G / S U M M E R 2 0 0 7 GALLIANO
S P R I N G / S U M M E R 2 0 0 7 GALLIANO
Estou diante da vitrine do Galliano na St. Honoré, transformada numa inacreditável sala de cirugia: nas macas, as pseudopacientes - em branco - aguardam o vaivém (imaginário) dos médicos e das enfermeiras. Manchas de sangue un peu partout. Sem drama, queridinha, porque - u-lá-lá! - tudo é sempre impecavelmente estético no mundo fashion. Afinal, "faço ou refaço meus peitinhos", eis a grande questão. UAU! Humor e muitomuitomuito talento, é isso que o Galliano tem. Deve ser um amigo maravilhoso, divertido, atrevido, desses que sabem sempre como preencher o empty inevitável de cada dia. Vai daí que aquelas figuras ascéticas que pintaram na passarela (caretinhas mesmo), com seus uniformes de toile branca, (tailleurs justos ou drapeados, animados por bolsos descolados), agora, na pseudo-sala de operações, parecem irônicas e subversivas. E, nas araras, é claro, mil tentações mais perigosas. Um terno que parece feito de alumínio, cujo coletinho (um deslumbre!) quase me tira do sério. Atenção, "detail importantíssimo" next-summer: uma flor gigantesca deve - impreterivelmente - brotar na lapela do seu tailleur. Os vestidos escorregadios, com seus decotes assimétricos, são fáceis e lindos. O jérsei é rei. Desenhos localizados, alguns bordados de pastilhas, outros simplesmente "pintados" à mão, e outros, ainda, mergulhados num mar de azul Klein, a cor que vai emplacar mesmo nesse verão 2007. Mas... o momento culminante, quase lírico, explode só quando subo para o 2º étage e... vejo os chapéus que estavam no desfile!! Nossa! São absolutamente imensos, em verdade "obras plásticas", construídas com fios retorcidos, plumas, tressés, folhagens e por aí afora. Fico literalmente babando... Pena mesmo que - aqui no Brasil - chapéu é o tipo do acessório que foi praticamente banido das nossas vidas. Mas - juro - vou conseguir entrar (ainda que de penetra) para uma garden-party num castelo inglês, só para poder aparecer coroada por uma maravilha dessas... FOTOS:MARCIO MADEIRA