Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

RPM elege clipe de ‘Vidro e Cola (Linda)’ como o mais divertido da carreira

Bigode falso, roupa dos anos 70 e tapa olho arrancam risos em novo clipe do RPM. ‘A gravação foi uma diversão’, lembra Paulo Ricardo

Laís Oliveira Publicado em 26/03/2013, às 15h38 - Atualizado em 24/03/2020, às 15h02

Luiz Schiavon, Fernando Deluqui, Paulo Ricardo e PA Pagni - Fabio Miranda
Luiz Schiavon, Fernando Deluqui, Paulo Ricardo e PA Pagni - Fabio Miranda

Com quase 30 anos de estrada – e de sucesso – o RPM pode se dar ao luxo de brincar em trabalho. E foi o que Paulo Ricardo (50), PA Pagni (54), Fernando Deluqui (51) e Luiz Squiavon (54) fizeram no clipe Vidro e Cola (Linda). “A gravação do clipe foi uma noite de muita diversão. Fizemos uma homenagem aos primeiros clipes de grandes artistas que influenciaram a gente, à época pré-MTV, pré-internet, à essência do rock e a estética extravagante excessiva do começo dos anos 70”, contou Paulo Ricardo à CARAS Online.

Vestidos com figurinos dos anos 70, com calças boca de sino e brilhos, os músicos caíram na risada ao completarem seus looks com adereços sortidos. “Foi um dos clipes mais divertidos, descontraídos, em que a gente deu muita risada. Na hora que o PA colocou o bigode postiço então, a gente ficou meia hora para conseguir gravar, porque ficou muito engraçado”, lembrou Squiavon.

“Todo mundo olhava para mim, com aquele bigode fake, e dava risada, mas eu não podia rir senão o bigode ia cair”, resmungou o baterista, às gargalhadas. “Foi muito legal, e agora há uma campanha para que eu deixe o bigode crescer. Porque quando entrei no RPM eu tinha aquele bigode, mas como naquela época não tinha nada a ver com o som que a gente fazia, me pediram para tirar e eu nunca mais usei”, revelou.

Vocalista da banda, Paulo Ricardo conta que a ideia era mesmo exagerar na caracterização dos personagens. “Queríamos rever os primórdios do videoclipe, a fase em que se estava descobrindo os primeiros efeitos do vídeo para dar um toque mais maluco, psicodélico nos clipes”, disse ele, que inclusive pediu ajuda da mulher, Gabriela Verdeja (35) na escolha do figurino. “Ele divide tudo comigo, não faz nada sem me perguntar. Quando estavam escolhendo as roupas ele me mandou as fotos lá do brechó para que eu ajudasse a escolher as peças”, contou ela, que tem Isabella (9 meses) com o cantor.

“É trabalhoso, demorado, mas quando você vê tudo pronto é bacana, deu para mostrar um pouco dos anos 70 e o glam rock. Missão comprida!”, celebrou Paulo Trevisan (57), diretor do clipe. “Esse é um dos trabalhos mais legais que o RPM fez em vídeo, e realiza bem a função de mexer com pessoas, criar uma discussão sobre a coisa exagerada, a imagem, o glamour e o preconceito. Esta discussão vai ser colocada na mesa, que é o que a gente queria e vai conseguir”, afirmou o guitarrista Fernando Deluqui, que celebrou seu aniversário no dia do lançamento do clipe, nesta segunda, 25.

Vida e Cola (Linda) é uma reedição mais rock and roll de Vidro e Cola, música do CD Elektra. “Adoro esse negocio de música com nome entre parentes, como ‘(I Can't Get no) Satisfaction’ [The Rolling Stones], que é o nome todo real da música. É um barato isso. Fizemos questão de colocar um título bem diferenciado, para as pessoas saberem qual é qual”, esclareceu Paulo Ricardo.

“O RPM sempre foi verdade a gente faz isso de coração. Eu não imaginei que a gente fosse chegar tão alto, porque a gente tinha um texto diferente, letras com conteúdo. Eu acreditava no sucesso do RPM mas não que chegaria onde chegou”, finalizou PA, com brilho nos olhos.