Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A rotina de Fiorentino com seus trigêmeos

Na UTI, Isabella Fiorentino já passa grande parte do tempo com Nicholas, Bernardo e Lorenzo no colo e acompanha de perto o desenvolvimento dos seus meninos

Redação Publicado em 02/09/2011, às 19h18 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Isabella Fiorentino - Reprodução/Twitter
Isabella Fiorentino - Reprodução/Twitter

Desde o nascimento de Nicholas, Bernardo e Lorenzo no dia 1º de agosto, a rotina da mamãe Isabella Fiorentino (34) está super puxada. Centrada nos cuidados com seus trigêmeos, que nasceram com apenas sete meses, a bela passa praticamente o dia todo na UTI Neonatal Hospital Albert Einsten, em São Paulo.

“Isabella é uma mãe muito presente e incansável, sua dedicação é admirável. Diariamente, ela vai de manhã ao hospital, volta para casa na hora do almoço, e depois retorna, onde permanece até as 21h com os meninos”, declarou uma fonte com exclusividade à CARAS Online.

“Na UTI, ela pega os bebês no colo, um de cada vez, e depois vai a uma sala onde tira seu leite, que será dado aos meninos através da sonda que eles têm na boca. Ela já chegou a ficar 1h30 com um dos filhos no colo e costuma ficar bastante tempo com cada um”, acrescentou a fonte, que também contou que o papai, Stefano Hawilla (32), é muito participativo. “O Stefano está diariamente com os filhos, mas não tanto quanto Isabella devido ao trabalho. Ele também os segura no colo na UTI, isso é muito importante para o desenvolvimento das crianças”.

Os trigêmeos, que precisam aprender a coordenar a respiração e o movimento de sucção do leite no peito para então deixarem a UTI, já estão mostrando sinais de que querem mamar. “Eles nunca mamaram no peito, mas, quando um deles está no colo da mãe e com a cabeça perto do peito, já faz ‘biquinho’ para mamar. É sinal de que estão aprendendo o movimento de sucção”.

Apesar de serem trigêmeos idênticos, Isabella consegue diferenciar os meninos. “Eles não têm o mesmo tamanho ou peso, são diferentes apenas nisso, mas Isabella os diferencia com precisão. Talvez, quando eles estiverem em casa e vestidos com roupas iguais, ela se confunda”, brincou.

Após esta fase na incubadora na UTI, os bebês serão encaminhados para a CI, mas isso só ocorre quando eles já se alimentam no peito materno e respiram sem a ajuda de aparelhos.