Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

Ronaldo Nazário dança e beija o Fuleco, mascote da Copa do Mundo de 2014

Na premiação Bola de Ouro, Ronaldo Nazário interage com Fuleco, o mascote da Copa do Mundo de 2014, e Jéróme Valcke, Secretário Geral da Federação Internacional de Futebol, explica a escolhe do tatu-bola

Redação Publicado em 07/01/2013, às 18h30 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Ronaldo Nazário e Fuleco, mascote da Copa do Mundo de 2014 - Reuters
Ronaldo Nazário e Fuleco, mascote da Copa do Mundo de 2014 - Reuters

Apesar de não estar concorrendo a nenhum prêmio da Bola de Ouro, Ronaldo Nazário (36) foi um dos destaques brasileiros na festa que premia os melhores do mundo do futebol. Na cerimônia, realizada nesta segunda-feira, 7, em Zurique, Suíça, o Fenômeno subiu ao palco ao lado de Jéróme Valcke (61), Secretário Geral da Federação Internacional de Futebol, e falou dos benefícios trazidos ao Brasil pela Copa do Mundo de 2014.

“Há um entusiasmo muito grande do povo brasileiro com essa competição e, sem dúvida, o que a Fifa está trazendo para a nossa população é um grande investimento antecipado em termos de infraestrutura, de aeroportos, novas estradas e estádios. Portanto, nós temos que agradecer muito à Copa do Mundo por isso”, disse o craque.

Em um momento de descontração, a apresentadora do prêmio pediu para Ronaldo esquecer que Luiz Felipe Scolari (64), atual técnico da Seleção Brasileira de Futebol, estava na plateia e o questionou sobre a expectativa do time sede para a competição. “Espero que a Seleção Brasileira tenha um bom desempenho e certamente vamos torcer para que traga um bom resultado, mesmo sendo grande a pressão com a competição dentro do nosso país. A princípio vai ajudar, mas, se perder, vai ser mais difícil”, frisou.

Ao som de Arlindo Cruz (54), Fuleco, o mascote oficial da Copa do Mundo no Brasil, subiu ao palco e dançou com Ronaldo Nazário, de quem também ganhou um beijo. Animado, Jéróme Valcke falou aos presentes sobre a escolha do tatu-bola. “Escolheram o tatu-bola, que é um animal que está em extinção. A escolha representa uma campanha nacional de preservação do meio ambiente e para promover o esporte. O animal é bonito e se enrola como uma bola de futebol”, afirmou o Jéróme Valcke.

Na premiação, os brasileiros Neymar (20) e Marta (26) não conquistaram o título de, respectivamente, Gol Mais Bonito e Melhor Jogadora de 2012. Daniel Alves (29) e Marcelo Vieira (24), que atuam no Barcelona e Real Madrid, integraram o Time Ideal.

Ronaldo Nazário já conquistou três vezes a Bola de Ouro: 1996, 1997 e 2002.