Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

“Ele usa da cafajestagem para buscar uma verdade”, comenta Rodrigo sobre personagem

Rodrigo Lombardi assume que o pontapé inicial para que um romance entre seu personagem e Lívia Marini, mas defende que usa a relação para buscar a verdade

Redação Publicado em 22/03/2013, às 10h35 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Rodrigo Lombardi e Cláudia Raia - Salve Jorge/TV Globo
Rodrigo Lombardi e Cláudia Raia - Salve Jorge/TV Globo

Quem acompanha a novela Salve Jorge, exibida na faixa das 21h, na Rede Globo sabe do que Lívia Marini, vilã do folhetim, interpretada por Cláudia Raia (44) está apaixonada por Théo (Rodrigo Lombardi, 36). Recentemente, o casal até protagonizou cenas calientes na Turquia. Apesar de ser a primeira vez que interpretam um par romântico, Rodrigo não economiza elogios à colega de trabalho: "A Claudia é um doce. Trabalhar com ela é sinônimo de muita risada."

O ator assume que foi o personagem quem deu o pontapé inicial para que um romance entre eles começasse, e defende com unhas e dentes a atitude de seu personagem. "Antes de a novela começar, a gente já desconfiava que esse momento ia chegar. É bom para dar uma mexida na trama. Mas o Théo não é cafajeste! Ele usa da cafajestagem para buscar uma verdade. Claro que ele não age da forma mais correta... Mas vamos ver se nesse caso os fins justificam os meios,” disse.

Cláudia Raia também analisou sua personagem. Ela revelou que ficará desiludida com os encantos do capitão: "Ela vai perder as estribeiras em nome do amor. É maravilhoso constatar que uma mulher fria e gélida como ela, que lida muito superficialmente com as relações e só usa bege, tem um coração. E o Théo desafia, domina ela completamente. Ela nunca teve um homem desses."

A atriz acredita que o público pode rejeitar essa relação e revela que já tem escutado comentários por onde passa: "Eu ouço umas coisas como 'coitada' ou 'ai que pena'. Eu não teria pena nenhuma!", finalizou.