Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Rita Cadillac espera por seu momento Thammy Miranda: 'E quem não quer?'

Inspiração para personagem de Elizabeth Savalla na próxima novela das 9, Rita Cadillac espera ser chamada para atuar em 'Amor à Vida'; a dançarina também elogia o trabalho de Thammy Gretchen em 'Salve Jorge'

Renan Botelho Publicado em 11/04/2013, às 17h16 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Rita Cadillac assessora Elizabeth Savalla em gravação de 'Amor à Vida', próxima novela das nove - AgNews/ Divulgação Globo
Rita Cadillac assessora Elizabeth Savalla em gravação de 'Amor à Vida', próxima novela das nove - AgNews/ Divulgação Globo

Com a fama nascida no mesmo cenário de danças sensuais que a de Thammy Miranda (30), atual destaque da novela Salve Jorge, Rita Cadillac (58) também quer ter a chance de brilhar em uma novela das nove. “E quem não quer? Todo mundo tem essa vontade”, afirma a dançarina, que aprova o trabalho da filha de Gretchen (53). “Estou adorando.Ela mandou muito bem na cena da boate. Deus permita que ela goste disso e continue neste caminho”, diz.

A oportunidade de a eterna Rainha do Bumbum mostrar seu talento no horário nobre da Globo parece estar próxima. Em Amor à Vida, novela de Walcyr Carrasco (61) que irá suceder a trama de Glória Perez (64), a personagem de Elizabeth Savalla (57) será uma ex-chacrete que detesta Rita Cadillac. Ela já até assessorou a atriz nos primeiros dias de gravação, mas ainda aguarda um convite para atuar.

“Fui à gravação, mas não estava em cena. Me chamaram para dar uma assessoria, uma mini-assessoria para a Elizabeth Savalla”, conta Rita. “Batemos muito papo, conversamos durante horas e falamos sobre o que acontecia na televisão naquele tempo. De repente, eu soltava uma gíria e ela anotava. Tudo que ela gostava, ela mandava ver no bloquinho”, completa.

Entre as gírias anotadas, Rita lembra que Elizabeth adorou a frase ‘Chuta que é frango de macumba!’. As duas ainda ensaiaram uma coreografia juntas. “Ela me pediu para ajudá-la com uma dancinha. Ensinei uma coreografia que serve para tudo, funciona com samba, com romântico... Ela mandou bem. Foi bem na fita”, fala.

A ex-chacrete da ficção se chamará Márcia Para-choque - uma homenagem clara ao nome artístico de Rita de Cássia Coutinho. “Acho ótimo ser lembrada assim. Me senti honrada. Na verdade, acho que ela está fazendo o meu papel com outro nome. Mas isso é coisa da minha cabeça, não li nada”, comenta a carioca, que se encantou por Elizabeth. “Conversar com ela foi incrível. A gente vê novela e curte o trabalho dela. Fiquei apaixonada. É uma pessoa linda, fiquei de quatro mesmo. Quero mais, quero mais!”

Julgamento do Carandiru

Madrinha dos ex-detentos do Carandiru, Rita Cadillac acompanha de perto o julgamento de 26 policiais militares acusados de participar do massacre do complexo penitenciário, há 20 anos. O júri teria início na segunda-feira, 8, no Fórum Criminal da Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista, mas foi adiado após uma das juradas passar mal logo do início da leitura das peças jurídicas.

“A gente sabe que isso não vai dar em nada, como nada tem dado em nada na Justiça. Já se passaram tantos anos que as pessoas até esqueceram. Dizem que bandido bom é aquele morto, não é. Bandido bom é aquele que consegue se recuperar”, diz Rita, que sonha com a condenação dos policiais, mesmo desacreditada. “Não fui neste julgamento, mas quero ir no outro [que deve acontecer no dia 15 de abril]. Só não sei se tenho essa coragem. Não acredito que vai resolver alguma coisa. Vão dar no máximo sete ou oito anos de cadeia, depois reduzem essa pena e amanhã eles estão livres”, declara.