Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

REVERÊNCIA A CHICO ANYSIO

AO LADO DA FAMÍLIA, ELE LANÇA DVD BIOGRÁFICO

Redação Publicado em 26/03/2007, às 12h01

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Chico ganha beijo de Malga
Chico ganha beijo de Malga
Um dos mais importantes comediantes do Brasil, Chico Anysio (75) foi homenageado com um documentário que passa a limpo sua trajetória. Chico Anysio É aborda as várias facetas do artista - como ator, escritor, pintor e comentarista esportivo - e relembra vários dos seus 209 personagens, sem esquecer sua preferência pelo professor Raimundo, apresentado ao público há 55 anos. "Ele é muito importante, porque foi o primeiro que fiz, tanto no rádio quanto na televisão", justificou o ator, que atualmente vive o Cigano da novela Pé na Jaca. Na festa de lançamento do DVD do filme, na AMA Cosme Velho, Rio, Chico contou com o carinho da empresária Malga di Paula (36), com quem está casado há oito anos. "Quando o conheci, me emocionei, porque já era fã. Chico é cativante e hoje é meu amigo... meu amor", derreteu-se ela. A iniciativa do projeto - produzido pelo Cana Brasil - partiu do cineasta Zelito Vianna (67), irmão do homenageado, e teve forte marca familiar. Diretor de longas como Morte e Vida Severina e Villa-Lobos-Uma Vida de Paixão, Zelito abraçou Chico ao lado da mulher, Vera de Paula (63) - produtora executiva do documentário -, e do filho Marcos Palmeira (43). Bruno Mazzeo (29), um dos oito herdeiros de Chico, assina o roteiro e a narração da história. Durante o evento, o homenageado foi tietado ainda pela ex Alcione Mazzeo, mãe de Bruno, e pela irmã, a atriz Lupe Gigliotti (79). Diante de tantas reverências, Chico Anysio apontou um dos segredos de seu sucesso. "Pode ser que exista profissional igual a mim, mas melhor do que eu não tem. Nunca errei e não dou o menor trabalho ao diretor. Há um papo de que não gosto de repetir cena e não gosto mesmo. Mas repito se for necessário. É que nada fica tão bom quanto a emoção da primeira vez", explicou ele. FOTOS:ROBERTO VALVERDE/PHOTO RIO NEWS