Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Renata Dominguez na Espanha

Solteira, Renata Dominguez enaltece oportunidade de ampliar seus horizontes

Redação Publicado em 07/08/2012, às 11h22 - Atualizado em 08/08/2012, às 03h16

Solteira desde o fim do namoro de nove anos com o diretor Edson Spinello, ela revela estar vivendo intensamente cada momento. - arquivo pessoal
Solteira desde o fim do namoro de nove anos com o diretor Edson Spinello, ela revela estar vivendo intensamente cada momento. - arquivo pessoal

Mais do que uma simples viagem, Renata Dominguez (32) vem transformando suas férias na Espanha em um processo de aprendizado e de descobertas. Solteira desde abril, após o fim do namoro de nove anos com o diretor Edson Spinello (51), a atriz conta que já não se sente mais como no início da fase solteira, quando chegou a confessar que a liberdade era assustadora. “Estou vivendo um dia de cada vez, bem mais consciente. Nunca dei tanto valor ao presente como agora”, afi rmou ela, que prefere não falar sobre o ex, apesar de manter com ele uma relação de amizade e carinho.

A oportunidade de ampliar os horizontes ao mesmo tempo em que relaxa do trabalho é o que no momento fascina Renata, cujo último trabalho na TV foi como protagonista da série Rei Davi. “É a oportunidade de aprender, deixar os problemas de lado e vivenciar novas coisas, comidas, cheiros, imagens”, explicou. Com a mochila nas costas, visitou locais em Madri como a Plaza Mayor e a Puerta de Alcalá e se deliciou com a gastronomia local. “Comi tapas deliciosos. Recomendo o de ‘cangrejo com caviar rojo’”, indicou. Antenada, não deixou de fazer observações sobre o difícil momento da economia espanhola. “Apesar da crise, vi um povo que mantém a cabeça erguida e enfrenta as dificuldades com dignidade”, destacou ela, que mostrou fôlego de sobra. “Gosto de conhecer a cidade no seu íntimo, visitar não só o que há de mais bonito, mas também lugares não turísticos, andar de metrô, sentir o povo”, ressaltou.