Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Relembre sucessos de Janete Clair

Saiba quais foram as grandes novelas escritas por Janete Clair e que fizeram sucesso nas telinhas de diversas emissoras brasileiras e no exterior

Redação Publicado em 01/09/2011, às 13h11 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Relembre os sucessos de Janete Clair - Reprodução
Relembre os sucessos de Janete Clair - Reprodução

Sem dúvidas, as novelas da autora Janete Clair (1925-1983) fizeram e ainda fazem muito sucesso da televisão brasileira. Seus trabalhos têm tanta aceitação do público que muitos deles são regravados, como Irmãos Coragem, Pecado Capital e, o mais recente deles, O Astro – sucesso de 1977 que atualmente ganhou um remake e está sendo exibido na Rede Globo. Relembre os grandes trabalhos da escritora mineira que possui mais de 30 novelas e minisséries, muitas delas já exibidas fora do Brasil.

Nuvem de Fogo (1963): foi o seu primeiro trabalho. A história era baseada em uma radionovela da Rádio Nacional e foi exibida na TV Rio. No elenco estavam Miriam Pires (1924-2004), Yara Salles (1912-1986), Juca de Oliveira (76), Fúlvio Stefanini (71) e Regina Duarte (64).

Véu de Noiva (1969): com a chamada ‘Em Véu de Noiva tudo acontece como na vida real. A novela-verdade’, esta foi a quarta trama inteiramente escrita por Janete Clair e um sucesso do horário nobre da Rede Globo. Regina Duarte e Cláudio Marzo (70) foram os grandes protagonistas da atração, que ainda contava com Betty Faria (70) e Myriam Pérsia (76). Com o título de Velo de Novia, foi exibida no México nos anos de 1971 e 2003. Em 2009, o SBT apresentou uma nova versão da história, que foi intitulada Vende-se um Véu de Noiva.

Irmãos Coragem (1970): este trabalho, o 15º de Janete, é a quarta novela mais longa da história da televisão brasileira. Nela, era retratada a luta dos irmãos coragem – Tarcísio Meira (75), Cláudio Cavalcanti (70) e Cláudio Marzo – na cidade de Coroado, interior goiano. Daniel Filho (73) e o também ator Milton Gonçalves (77) assinaram a direção. Devido ao grande sucesso, a trama também foi exibida no Peru em 1972.

Selva de Pedra (1972): foi um dos grandes sucessos da Rede Globo nos anos de 1970, chegando a alcançar 100 pontos de audiência no capítulo 152, quando Simone, personagem de Regina Duarte, é desmascarada. Além da atriz, Francisco Cuoco (77) também protagonizou a novela. Em 1986, ganhou uma nova versão, com Fernanda Torres (45) e Tony Ramos (62).  Selva de Pedra foi reapresentada em duas ocasiões: a primeira, compacta, foi exibida entre agosto e novembro de 1975 no lugar de Roque Santeiro, que havia sido censurada; a segunda foi a reprise de 1988, como atração do Festival 15 anos, compactada em 1h30 e apresentada por Cuoco.

Pecado Capital (1975): com 167 capítulos, exibida entre novembro de 1975 e junho de 1976, foi a primeira novela em cores exibida no horário nobre das 8 na Rede Globo. A trama, que fala de ambição e ganância pelo dinheiro, tinha no elenco alguns atores que já haviam trabalhado com Janete Clair, como Francisco Cuoco, Betty Faria e Lima Duarte (81). Foi regravada e exibida em 1998, na qual Cuoco participou novamente. O remake contava ainda com Eduardo Moscovis (43), Cássia Kiss Magro (53) e Vera Fischer (59).

O Astro (1977): é um dos trabalhos mais marcantes da carreira da escritora. Com 185 capítulos, foi exibida entre dezembro de 1977 e julho de 1978, tendo altos índices de audiência na Rede Globo. Francisco Cuoco interpretava Herculano Quintanilha e o elenco contava ainda com Dina Staf (1938-1989), Tony Ramos e Elizabeth Savalla (54). Em 2011, a emissora produziu um remake com Rodrigo Lombardi (34), Carolina Ferraz (43), Thiago Fragoso (29) e Alinne Moraes (28).


Janete Clair, única a conquistar 100 pontos de audiência – ou seja, todos os televisores do país estavam sintonizados em sua novela -, morreu precocemente aos 58 anos, vítima de um câncer no intestino. Na data de sua morte, ela escrevia a telenovela Eu Prometo, que deixou inacabada. A trama foi concluída por Glória Perez (62) e pelo então marido de Janete, Dias Gomes (1922-1999).