Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARAS

Raí chora a morte do irmão Sócrates

Abalado, Raí lamenta morte do irmão, Sócrates

Redação Publicado em 06/12/2011, às 14h50 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Irmão mais novo, Raí se despede do eterno ídolo, sepultado no interior de SP. - Luis Cleber
Irmão mais novo, Raí se despede do eterno ídolo, sepultado no interior de SP. - Luis Cleber

O futebol acordou mais triste no domingo, dia 4. Eterno ídolo dos gramados, Sócrates não resistiu à infecção generalizada causada por bactéria e morreu aos 57 anos, em SP. Casado com Kátia Bagnarelli (31) e pai de seis filhos, de relações anteriores, ele estava com a saúde debilitada desde agosto, em decorrência do consumo de álcool. “Todos sabem da importância dele para o futebol e para o País. Temos orgulho disso e esperamos que ele descanse em paz”, emocionou-se o irmão Raí (55). Formado em Medicina, o Doutor deixou sua marca também fora dos campos, participando, entre outras, da luta pela redemocratização do País.

Na mesma hora em que o corpo do ex-craque era enterrado em Ribeirão Preto, interior de SP, atletas de Corinthians — time defendido por ele nas décadas de 1970 e 80 e que se sagrou pentacampeão brasileiro no mesmo dia — e Palmeiras se reuniram no centro do gramado do Pacaembu para homenageá-lo com o gesto que virou sua assinatura ao comemorar um gol: o braço direito erguido e o punho cerrado.