Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

RACHEL WEISZ DESCOBRE UM OUTRO RIO DE JANEIRO

GANHADORA DO OSCAR EVITA OS ROTEIROS ÓBVIOS E PASSEIA EM SANTA TERESA COM SEU FILHO HENRY

Redação Publicado em 21/03/2007, às 11h48

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Toma água para suportar o forte calor e mima o pequeno Henry
Toma água para suportar o forte calor e mima o pequeno Henry
Logo após uma divertida temporada na Ilha de CARAS, em Angra dos Reis, a atriz inglesa Rachel Weisz (36) quis conhecer o Rio de Janeiro, esquivandose dos típicos roteiros turísticos da cidade. De minissaia, camiseta, chinelo e chapéu de palha, clássico visual carioca, ela aproveitou suas últimas 24 horas de folga antes de retornar ao set de filmagem de My Blueberry Nights, sob a direção de Wong Kar Wai. "Este é exatamente o tipo de lugar que adoro, tem a minha cara", vibrou a atriz, ao chegar ao alto de Santa Teresa - bairro conhecido pelos antigos casarões, diversos ateliês de arte, tradicionais bares e pitorescos bondinhos, que circulam sobre trilhos proporcionando uma bela vista da cidade. O fascínio da inglesa foi ainda maior ao degustar a variedade de pratos servida no simpático restaurante Aprazível, onde almoçou com a família. A única queixa foi ter comido demais, por pura gula, admitiu. Mas a curiosidade de Rachel - ganhadora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por O Jardineiro Fiel, de Fernando Meirelles (51) - havia sido apenas despertada. Ao lado do amado, o diretor Darren Aronofsky (38), e carregando o pequeno Henry (8 meses), fruto da união de 7 anos; a atriz enfrentou o calor tropical e empreendeu uma caminhada ladeiras abaixo, para conhecer mais da cultura popular. Até Henry foi despojado do seu vestuário, para ficar fresco e confortável durante o passeio, "ele odeia ficar em casa, porque isso é muito chato. Prefere o movimento da rua", disse a orgulhosa mãe, justificando o olhar observador do seu primogênito. Apesar do visual simples, a atriz foi reconhecida por vários moradores, a quem respondia com simpatia. "É maravilhoso ser reconhecida pelo meu trabalho, não posso me queixar", comentou, sem se afetar pelo assédio carinhoso. Depois de observar a arquitetura histórica, o interesse de Rachel foi despertado pelas lojas de artesanato. Deslumbrada com um quadro em madeira com a figura do sagrado coração, ela quis saber o significado da inscrição "É o que você sente", abaixo do ícone. "Tenho que comprar este quadro já" declarou, e foi direto ao caixa. O entusiasmo com a arte popular não parou aí. Minutos depois, ela empreendeu uma conversa - cheia de mímica - com um artista que tinha suas obras expostas na rua. Finalmente se decidiu pela compra de uma pintura abstrata e continuou com o passeio, à base de muita água para suportar os 35 graus cariocas. Enquanto a namorada fazia compras, o diretor de Pi (1998) e Réquiem Por Um Sonho (2000) tentava adormecer o filho no carrinho, sem sucesso. Depois de diversas brincadeiras, Darren aproveitou a situação para conversar com o herdeiro, tentando fazê-lo repetir algumas palavras. "Quero que Henry faça o jardim de infância na Inglaterra, assim ele vai me chamar de 'Papa' em vez de 'Daddy'", comentou, revelando o senso de humor que despertou o amor de Rachel quando se conheceram em Londres, no camarim da peça que ela protagonizava, The Shape of Things (2001). "Eu já conhecia o trabalho de Darren e sou uma grande fã dos seus filmes. Mas depois que trabalhamos juntos em A Fonte da Vida foi ainda melhor. Tão bom que fizemos o bebê", completou a atriz inglesa, pegando Henry dos braços do pai. FOTOS: MARCELO BRUNO/KDL