Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Queimaduras devem-se à exposição excessiva e por longo tempo ao sol

Redação Publicado em 17/01/2012, às 09h32 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

.
.

As queimaduras por sol são frequentes em especial no verão. Os dermatologistas atendem a muitas pessoas com este problema na estação. Elas passam o ano inteiro trabalhando nas cidades, em ambientes fechados, e quase não se expõem aos raios solares. Sua pele, claro, fica branquíssima. As férias chegam e elas alugam uma casa ou apartamento no litoral. Lá, vão para a praia no horário mais quente sem proteção. Homens passam horas jogando futebol na areia vestidos apenas com um short. Mulheres e homens sentam-se numa cadeira ou deitam-se na areia e tomam sol por horas. O  resultado é que se queimam,às vezes até gravemente. As queimaduras atingem sobretudo os homens, mas também as mulheres. Podem manifestar-se em toda a pele, mas são mais comuns em áreas mais expostas, como rosto, ombros, costas, abdome.

As queimaduras por sol podem ser de primeiro ou de segundo grau. As de primeiro graus são as que atingem apenas a córnea, camada mais externa da pele. Já as de segundo grau ocorrem quando atingem a segunda camada, a derme.

A causa é a exposição excessiva e por longo tempo ao sol sem proteção, ou com proteção insuficiente, pelo fato de se esquecer de repassar o filtro solar. Vale relembrar, a propósito, que o filtro não bloqueia a passagem de todos os raios. Mesmo que a pessoa passe a substância corretamente e a repasse nos períodos recomendados, se ficar no sol em excesso irá queimar-se. Não se pode passar filtro solar e ficar ao sol o dia inteiro. O filtro protege de 15 a 70 vezes mais do que se se estivesse sem ele, mas não totalmente.

Os sintomas iniciais são vermelhidão e dor ao toque. Se a pessoa continua ao sol, podem surgir bolhas. Quando a área queimada é extensa demais, a temperatura corporal se eleva. Se ela não toma líquidos o suficiente, o organismo “entende” que a temperatura corpórea está elevada e precisa baixá-la. Faz isso através do suor, o que pode causar desidratação. A pessoa precisa ser levada a um pronto-socorro, porque, se perder líquidos pelo suor em demasia, pode ter um choque hipovolêmico e até morrer.

Pesquisa da Sociedade Norte-Americana de Dermatologia apurou que o melanoma, o mais perigoso câncer de pele, manifesta-se não em pessoas que tomam sol sempre, mas sim naquelas que o tomam de vez em quando, porém exageram, submetendo sua pele a um ato de violência.

Felizmente, as queimaduras são evitáveis. Se você tem pele branca, na praia ou na piscina, exponha-se ao sol aos poucos e protegido por filtro solar. Passe o filtro na quantidade certa e repasse de 2 em 2 horas, ou sempre que entrar na água. Tome sol só até as 10h00 e após as 16h00. Use boné ou chapéu e calça comprida e camisa de mangas compridas. Mantenha-se sempre bem alimentado e hidratado. Seja ainda mais exigente com crianças e idosos, que se queimam e desidratamse mais fácil e rapidamente.

Pessoas com queimaduras não devem passar na pele vinagre, óleo de lavanda, chá gelado, iogurte, tomate, abacate e pepino, pois, além de não aliviarem, podem agravar o quadro. O alívio pode ser conseguido, de fato, com loções ou cremes que tenham calamina na fórmula, hidratantes, pasta-d’água, gel com aloevera, soro fisiológico e água termal, todos disponíveis nas farmácias. Pessoas com sintomas de desidratação grave devem ser levadas a um pronto-socorro. Nas situações mais graves, pode ser preciso hidratá-las pela via endovenosa.