Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Preso, Hudson pede desculpa aos fãs e diz que foi 'irresponsável'

O cantor Hudson, que faz dupla com Edson, foi detido na madrugada desta quinta-feira, em Limeira, por porte ilegal de armas; o sertanejo escreveu uma carta para familiares e fãs se desculpando

Redação Publicado em 21/03/2013, às 12h07 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Hudson se desculpa por meio de carta - Celso Akin/AgNews/ Amauri Nehn/AgNews
Hudson se desculpa por meio de carta - Celso Akin/AgNews/ Amauri Nehn/AgNews

Detido desde a última quarta-feira, 20, na Delegacia Seccional de Limeira, por porte de armas, o cantor sertanejo Hudson (40) divulgou, na manhã desta quinta-feira, 21, uma carta escrita para os amigos e fãs. Nela, ele se desculpa por ter sido preso por duas vezes- em menos de 24 horas. O cantor só conseguiu redigir o texto com a ajuda de seu advogado e empresários. “Gostaria de dizer que jamais sairia da minha casa, no meio de uma madrugada, na intenção de tirar satisfação com alguém, muito menos pensar em me armar com objetivo de ameaçar quem quer que fosse. Assumo que também erro, porque tenho defeitos como qualquer pessoa, mas sei reconhecê-los e tento aprender a cada dia como me tornar um ser humano melhor. Em minha opinião, é o que todo homem deveria fazer”, escreveu.

Nas duas vezes que o sertanejo foi detido, foram apreendidas armas com ele. No texto, ele ressaltou que não deveria sair de casa portando as armas. “Um desses erros, que foi a gota d'água de tudo que estou passando agora, foi não ter retornado imediatamente para minha casa no momento em que percebi que havia deixado arma de fogo dentro do meu carro. Me arrependo por isso do fundo da minha alma, afinal hoje penso que não custava nada ter feito o retorno e ter devolvido para o lugar de onde nunca deveria ter saído. Esse fato não tem ligação com mais nada, a não ser unicamente com um ato irresponsável e desligado da minha parte. Reconheço. Outro erro foi ter sido ingênuo, diria até mesmo bobo, por ter confiado em pessoas que não mereciam e que me fizeram de trouxa me presenteando com verdadeiros "presentes de grego". E eu, no alto da minha "auto-confiança", achava que tudo era perfeitamente "normal" e legal”.

Em sua carta, o artista esclareceu que todo o material que portava está de acordo com a lei, no entanto, atribuiu o fato à sua “ingenuidade” em acreditar nas pessoas: “Assim como meus carros, as armas que comprei estavam totalmente dentro da lei, ou seja, registradas e devidamente legalizadas, mas é claro que isso não pode servir de desculpa para simplesmente deixá-las dentro do carro ou transportá-las. Falta de atenção e irresponsabilidade minha. E por pura ingenuidade, mantive na minha casa presentes dados por pessoas que procuravam me agradar e se aproximar de mim e que se diziam minhas amigas, mas que no fim acabaram me prejudicando. Vivendo e aprendendo. Queria deixar claro que assumo meus erros, respondo por eles e me arrependo amargamente. Não quero que isso se repita (e não vai se repetir!). Peço perdão do fundo do meu coração para aqueles que tenham se sentido incomodados de alguma forma, para aqueles que gostam de mim, que torcem por mim, para meus fãs e familiares, afinal muitos me veem como um exemplo. Há males que vem para o bem e que vem para nos ensinar e nos tornar pessoas melhores. Só quero continuar trabalhando em paz, fazendo o que mais amo: música. E é claro continuar falando só dela”, finalizou.

Entenda o caso

O sertanejo foi detido na madrugada desta quarta-feira, 20 por porte ilegal de armas, mas foi liberado após pagar fiança de R$ 6 mil. As armas foram encaminhadas para o Instituto de Criminalística. O cantor, que faz dupla com Edson(36), foi detido em Limeira, no interior de São Paulo. A abordagem ocorreu no bairro Vila Cláudia, por volta das 2h40. Segundo informações da Polícia Civil, apesar de ter as armas regularizadas, o músico não teria permissão para carregá-las em vias públicas. Ele responde ao processo criminal por porte ilegal de armas.

No entanto, por meio de uma denúncia anônima, o artista foi detido pela segunda vez durante a madruga desta quinta-feira, 21. De acordo com informação da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, o Ministério Público expediu um mandado de busca na casa dele. As autoridades encontraram mais armamento e munições de uso restrito, além de uma pequena quantidade de maconha. Por isso, o cantor não poderá pagar fiança.

Leia a integra da carta

“Aos amigos, fãs e a quem mais possa interessar

Primeiramente, queria pedir desculpas e dizer que estou desde manhã tentando escrever pra vocês, mas realmente foi impossível e só consegui fazer isso agora com a ajuda do meu advogado e dos meus empresários.

Quem me conhece sabe que eu sou uma pessoa pacífica, do bem. Quando não estou trabalhando gosto de ficar em casa com minha família, meus amigos, compondo, tocando, cozinhando e jogando conversa fora. Enfim, coisas normais que a maioria das pessoas do bem e de Deus gosta de fazer.

Por isso, primeiramente, gostaria de dizer que jamais sairia da minha casa, no meio de uma madrugada, na intenção de tirar satisfação com alguém, muito menos pensar em me armar com objetivo de ameaçar quem quer que fosse. Assumo que também erro, porque tenho defeitos como qualquer pessoa, mas sei reconhecê-los e tento aprender a cada dia como me tornar um ser humano melhor. Na minha opinião, é o que todo homem deveria fazer.

Um desses erros, que foi a gota d'água de tudo que estou passando agora, foi não ter retornado imediatamente para minha casa no momento em que percebi que havia deixado arma de fogo dentro do meu carro. Me arrependo por isso do fundo da minha alma, afinal hoje penso que não custava nada ter feito o retorno e ter devolvido para o lugar de onde nunca deveria ter saído. Esse fato não tem ligação com mais nada, a não ser unicamente com um ato irresponsável e desligado da minha parte. Reconheço. Outro erro foi ter sido ingênuo, diria até mesmo bobo, por ter confiado em pessoas que não mereciam e que me fizeram de trouxa me presenteando com verdadeiros "presentes de grego". E eu, no alto da minha "autoconfiança", achava que tudo era perfeitamente "normal" e legal.

Quem me conhece sabe que tenho paixão por colecionar carros antigos e pela prática de tiro ao alvo. Então não preciso nem dizer o que penso em relação a tudo que envolve armas. É coisa de adolescência tardia mesmo (qual "garoto" não gosta de armas e carros?). Afinal tenho trabalho duro desde os meus 6 anos de idade sem parar.

Assim como meus carros, as armas que comprei estavam totalmente dentro da lei, ou seja, registradas e devidamente legalizadas, mas é claro que isso não pode servir de desculpa para simplesmente deixá-las dentro do carro ou transportá-las. Falta de atenção e irresponsabilidade minha. E por pura ingenuidade, mantive na minha casa presentes dados por pessoas que procuravam me agradar e se aproximar de mim e que se diziam minhas amigas, mas que no fim acabaram me prejudicando. Vivendo e aprendendo.

Queria deixar claro que assumo meus erros, respondo por eles e me arrependo amargamente. Não quero que isso se repita (e não vai se repetir!). Peço perdão do fundo do meu coração para aqueles que tenham se sentido incomodados de alguma forma, para aqueles que gostam de mim, que torcem por mim, para meus fãs e familiares, afinal muitos me vêem como um exemplo.

Há males que vem para o bem e que vem para nos ensinar e nos tornar pessoas melhores.

Só quero continuar trabalhando em paz, fazendo o que mais amo: música. E é claro continuar falando só dela.

Obrigado pela atenção.

Hudson Cadorini”