Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Nostalgia marca a pré-estreia da versão de O Bem Amado no cinema

Equipe da produção inspirada no sucesso de Dias Gomes para TV e teatro enfatiza ares contemporâneos adicionados ao longa

Redação Publicado em 20/07/2010, às 11h27 - Atualizado em 22/07/2010, às 15h58

No Cine Odeon, Rio, Tonico Pereira, Guel Arraes, Paula Lavigne, Marco Nanini, Zezé Polessa, José Wilker, Andréa Beltrão e Maria Flor, em pé; Edmilson Barros e Bruno Garcia. - Roberto Valverde
No Cine Odeon, Rio, Tonico Pereira, Guel Arraes, Paula Lavigne, Marco Nanini, Zezé Polessa, José Wilker, Andréa Beltrão e Maria Flor, em pé; Edmilson Barros e Bruno Garcia. - Roberto Valverde
Responsável por dar vida pela segunda vez ao mítico político Odorico Paraguaçu, Protagonista da peça O Bem Amado, escrita por Dias Gomes (1922- 1999), em 1962, Marco Nanini (62) se reuniu ao elenco do filme homônimo na première carioca no Cine Odeon, Rio. O ator já havia interpretado o polêmico papel nos palcos em 2007. "O caráter duvidoso do personagem é o mesmo. É muito gostoso fazê-lo por ser cheio de contradições", afirmou. O longa estreia na sexta-feira, dia 23. Dirigida por Guel Arraes (56) e com produção de Paula Lavigne (41), a história traz José Wilker (65) como Zeca Diabo, papel de Lima Duarte (80) na adaptação da obra para a telinha, em 1973. A novela foi a primeira em cores do país. "Lima me mostrou fotos com o Paulo Gracindo, que fazia Odorico na TV, e me pediu para reproduzir o clima de diversão que tiveram", disse Wilker. Personagens marcantes na memória afetiva do público, as irmãs Cajazeiras, solteironas da cidade, viraram socialites e cabem agora a Andréa Beltrão (45), Zezé Polessa (56) e Drica Moraes (40), que se recupera bem de um transplante de medula óssea devido a uma leucemia. "Drica não veio, mas está aqui em nossos corações", comentou Zezé. "Acompanhei a novela e acho que tudo está diferente. É um outro século", ressaltou Andréa. "O filme fala sobre a elite política e social de hoje", completou Guel Arraes. Filha do protagonista no longa, Maria Flor (26) faz par romântico com Caio Blat (30). "Temos uma parceria ótima, o que torna mais fáceis as cenas de intimidade", garantiu ela. Ex-mulher de Guel, a atriz Virginia Cavendish (39) enalteceu o trabalho dele, com quem foi casada dez anos e se separou em 2002. "É muito talentoso. Nós fizemos o filme Lisbela e o Prisioneiro mesmo já separados", contou, na companhia da única filha, Luisa Arraes (16). O evento foi prestigiado também pela apresentadora Fiorella Mattheis (22), solteira há dois meses, após o fim da relação de três anos com o advogado Flávio Zveiter (28). "Minha rotina não mudou", minimizou ela.