Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

PLENITUDE DE CARLA PERNAMBUCO NO CARIBE

REALIZADA, CHEF GAÚCHA CURTE EVENTO GASTRONÔMICO NAS ILHAS VIRGENS BRITÂNICAS

Redação Publicado em 04/08/2009, às 17h35 - Atualizado às 17h38

Na mansão do bilionário inglês sir Richard Branson, na exclusiva Neckar Island, a chef brinda à vida. Numa das salas decoradas com objetos vindos de Bali, pausa para descanso. Os diversos pratos que saem da cozinha da premiada chef Carla Pernambuco (49) costumam ser considerados irretocáveis. Se o sucesso tem receita, a desta gaúcha que vive em São Paulo com o fotógrafo Nando Buco (51), mas há muito é cidadã do mundo, engloba criatividade, paixão pelo ofício, viagens para pesquisas gastronômicas e altas doses de talento e determinação. Em fase de plenitude pessoal e profissional, a mãe de Floriana (26), Felipe (18) e Julia (13) e dona dos restaurantes Carlota - em São Paulo e no Rio - e Studio 768- este apenas na capital paulista - curte o reconhecimento do público e da crítica. "Estou feliz", resume, olhar radiante sobre a água turquesa e esmeralda do Mar do Caribe. Carla, do bemsucedido trio de experts da coleção Utensílios do Chef e Seus Convidados de CARAS, é a única brasileira convidada a participar do Winemakers Dinners 2009, evento que reúne produtores de vinhos e chefs internacionais nas Ilhas Virgens Britânicas. No cenário deslumbrante e exclusivo de Neckar Island, a ilha particular do bilionário britânico sir Richard Branson (59), onde se realizou um dos quatro jantares e sete almoços de assentos a 5000 dólares cada um, com renda voltada para obras sociais, Carla recebeu CARAS. - O que mais a atraiu a este evento nas Ilhas Virgens? - Me interesso muito pela comida caribenha, por essa mistura de colonizadores africanos e ingleses. O apelo do mar é muito forte e aqui conseguimos lagostas hiperfrescas, coisa que nem existe mais no Brasil. E é sempre bom trocar experiências com chefs de outros países, num lugar paradisíaco. - Entre os pratos preparados especialmente para o Winemakers Dinners você destaca algum? - Gosto muito do cordeiro com queijo emmenthal. E também do camarão com palmito e cumbuquinha de massa folhada. - Seu prazer pela gastronomia vem da infância. Qual foi sua primeira obra ao fogão? - Foi um bolo. Eu ficava sempre observando minha avó, que era uma cozinheira de primeira. - Quais as qualidades necessárias a um bom chef? - Habilidade, determinação e obstinação para fazer bem-feito. Eu tenho prazer em aprender, em provar. Está na moda ser chef, mas a profissão engloba sacrifícios, não é só glamour. É preciso se dedicar, querer muito, se não houver esse empenho a pessoa desiste. Eu, por exemplo, estou numa fase tão intensa de trabalho que não tenho tempo nem para fazer ginástica. - Dos três filhos, algum pensa em seguir sua profissão? - A mais velha, Floriana, é artista plástica. É ela quem faz as capas dos menus dos restaurantes. Julia adora fotografar. Já o Felipe quer mesmo é saber de cinema. - Como você se relaciona com seus herdeiros? - Somos muito próximos. Adoro ser mãe, por mim teria tido mais filhos. Sou do tipo mãezona. - Em novembro você faz 50 anos, idade de crise para muitas mulheres. Como lida com isso? - Não encano com nada. Sou muito bem resolvida e estou realizada na profissão. Em resumo: estou muito feliz.