Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Pitt e Jolie doaram 340 mil dólares a mães e crianças na Somália

O casal de atores Angelina Jolie e Brad Pitt, que cria seis filhos, doou mais de 300 mil dólares a mães e crianças refugiadas na Somália

Redação Publicado em 10/10/2011, às 10h30 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Angelina Jolie e Brad Pitt - Reuters/Dado Ruvic
Angelina Jolie e Brad Pitt - Reuters/Dado Ruvic

Brad Pitt(47) e Angelina Jolie (36) doaram os 340 mil dólares através da fundação do casal, Jolie-Pitt, como uma iniciativa para a ajuda humanitária Just Relief Aid, que dá apoio às mães deslocadas de países devastados pela guerra.

Mohamed Dahir, que cuida da organização, disse que o dinheiro vai permitir a expansão do campo de Badbaado, em Mogadíscio, capital da Somália, que recebe em torno de 300 mulheres e crianças todos os dias. Acredita-se que cerca de 30 mil crianças com menos de cinco anos morreram devido à seca e fome no país, e as reivindicações das Nações Unidas apontam que 750 mil pessoas correm risco de morrer de fome nos próximos meses.

Recentemente, Angelina, que cria seis filhos com Brad - Maddox (10), Pax (7), Zahara (6), Shiloh (5) e os gêmeos Knox e Vivienne, de três anos - agradeceu aos refugiados somalianos pela a oportunidade de trabalhar ao lado deles durante os últimos dez anos. "Eu aprendi tanto com eles. Eu aprendi a ser uma pessoa melhor, uma melhor mãe. Eles me inspiraram, mostrando-me a força indestrutível do espírito humano".

Ela, que é Embaixadora da Boa Vontade das Nações Unidas (ONU), também falou sobre a situação da região, conhecida como o Chifre da África. "O desespero alimentado pela combinação viciosa de fome, seca e conflitos tem tirado dezenas de milhares de pessoas do Chifre da África. Nós não devemos esquecer o que está acontecendo nesta parte do mundo. Temos que tentar imaginar o quão desesperado é esse povo, quando sua única alternativa é arriscar sua vida no mar, colocando-se nas mãos de contrabandistas”.