Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

PING PONG: Astrid Fontenelle teve vergonha...

Redação Publicado em 16/06/2008, às 17h35

PING PONG: Astrid Fontenelle teve vergonha... - Arquivo Caras
PING PONG: Astrid Fontenelle teve vergonha... - Arquivo Caras
Por Patrícia Moraes de contar para as pessoas que o casamento de sete anos com o empresário Marcelo Checon tinha chegado ao fim. Pela primeira vez, a jornalista revelou que se decepcionou com os homens e reconhece Hebe Camargo com sua verdadeira amiga nesse momento tão difícil: "ela me deu colo, carinho e trabalho, como uma mãe faz".-Três meses após o fim de seu casamento com o empresário Marcelo Checon, como você está se sentindo? -Depois desse tempo, com muita terapia, acupuntura e trabalho, estou me refazendo. Passei por momentos muito difíceis com a separação. Foram sete anos, é muita coisa, muita história. Eu amei muito o Marcelo, mas hoje somos grandes amigos. -Você deixou o programa Happy Hour para se dedicar ao seu casamento e, pouco tempo depois, vocês tiveram uma crise e terminaram... -Pois é, que loucura, né? Cheguei a sentir vergonha de contar para as pessoas que o relacionamento tinha chegado ao fim, fugi do assunto no começo. Eu sofri muito, foi barra. E foi nesse momento que reencontrei pessoas muito bacanas, que me ajudaram, como a Hebe (Camargo)... -Você está trabalhando com a Hebe. Como é? -A Hebe me deu colo, carinho e trabalho, como uma mãe faz. Dez dias antes de meu casamento acabar, me ligaram do SBT pra eu fazer uma matéria e eu fiz. A Hebe me ligou e disse 'você é uma menina tão talentosa, não pode ficar sem trabalhar'. Aí veio a separação e ela me deu a maior força. Três dias depois estava viajando para gravar matérias para o programa dela. -E está lá até hoje... Você sabe se o Silvio (Santos) está gostando? -Essa coisa de TV no Brasil é engraçada. As pessoas só te ligam para falar que não está bom, ninguém liga para elogiar. Nunca recebi uma ligação de quem quer que seja para dar um feedback. O que sei é que a Hebe está adorando. -Você voltaria para o GNT, apesar da rotina de gravações ter sido um dos motivos do final do seu relacionamento? -Voltaria feliz da vida. Aquele era outro momento e precisei abdicar do meu trabalho para tentar salvar meu casamento. -E para a MTV, voltaria? -Ah, aí já é outra história. Não sei se eu estou velha para a MTV ou se é a MTV que está velha para mim (risos). Não voltaria. Quer dizer, a gente nunca pode dizer nunca. Se um dia eles precisarem de uma velhinha roqueira (risos)... -Você agora virou designer de jóias? -Não, longe de mim. Foi só uma idéia que o joalheiro Carlinhos Rodeiro tornou realidade. Quando viajei para a Índia, com o Marcelo, no final do ano passado, fiquei apaixonada por algumas coisas que vi e pensei em desenhar uma jóia para mim. Um dia meu cabeleireiro me disse que sonhou que eu usava uma estrela de ônix preta e eu adorei. Fiz o desenho e mandei para o Carlinhos. Daí surgiu a idéia de fazer uma coleção inteira, com pulseira e brincos também. -É pessoa supersticiosa? -No Candomblé, sou filha de Oxum e Oxum adora jóias. Eu também amo. Me falaram e eu repasso. No pescoço, uso um número seis e uma nossa senhora. Cheguei a tirar esses amuletos uma época, mas voltei a usar. Estou precisando de boas energias. Eu me decepcionei demais com os homens e comigo mesma e preciso acreditar novamente. -Como faz pra se sentir melhor? -Tenho amigos e eles são fundamentais. Deve ser muito triste envelhecer sem eles. Quando a gente quando acasala (risos), se casa, acaba deixando os amigos de lado e isso não pode ser assim. Porque eles são as melhores companhias. Eu errei nisso, em ter me isolado em casa, me distanciado das pessoas. No momento, estar sozinho é muito bom. -Você quer se apaixonar de novo? -Eu, com certeza, vou me apaixonar de novo. Eu nasci com o chip da felicidade e quero ser feliz.