Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

OS PASSOS MARCANTES DA JOVEM LETÍCIA COLIN EM BUENOS AIRES

NA COMEMORAÇÃO DOS 18 ANOS EM TEMPORADA NO EXTERIOR, ATRIZ SE DIZ RADIANTE COM DESAFIO DE ESTRELAR BONITINHA MAS ORDINÁRIA

Redação Publicado em 30/04/2008, às 18h29

OS PASSOS MARCANTES DA JOVEM LETÍCIA COLIN EM BUENOS AIRES - Arquivo Pessoal
OS PASSOS MARCANTES DA JOVEM LETÍCIA COLIN EM BUENOS AIRES - Arquivo Pessoal
por Luciana Marques A encantadora Buenos Aires foi o destino escolhido pela atriz Letícia Colin (18) para festejar dois momentos especiais: a maioridade e uma década de carreira. Acompanhada dos pais, José Hélio (60) e Analdina (58), ela mostrou-se realizada com a atual fase. "Já vivi muita coisa legal, mas tenho muito o que aprender. Estou me redescobrindo, entendendo melhor a magia de ser atriz, o contexto de família", constatou ela, que, antes de estrear na TV, em 2000, no seriado Sandy & Junior, atuou em vários comerciais. De férias da TV desde Luz do Sol, em novembro, ela volta ao ar em Chamas da Vida, em junho, para viver a Vivi. Mas o maior desafio profissional do ano é cinematográfico. Letícia acabou de rodar a nova versão do filme Bonitinha Mas Ordinária, inspirado na obra de Nelson Rodrigues (1912-1980), com direção de Moacyr Góes (46). Ela dá vida à protagonista, Maria Cecília. "Será um marco na minha carreira", assegura sobre o longa, ainda sem previsão de estréia. Outra novidade tem a ver com o look. No fim do ano, ela se submeteu a uma plástica no nariz com o doutor Paulo Müller (50). "Dei uma raspada no osso e fiz também desvio de septo", contou. Assim como a carreira, o coração vai bem. Há cerca de um ano ela namora o diretor Leonardo Miranda (28), com quem vive a primeira relação séria da sua vida. - Como está o namoro? - Estamos felizes. Leonardo também vive um momento especial, dirige a novela Amor e Intrigas. Eu o admiro pelo jeito como enxerga a vida, tem um olhar apurado, escuta as coisas de forma diferente. E apaixonada a gente fica mais feliz, quer fazer tudo certo. - Por que a cirurgia no nariz? - Fiz por ser atriz, para ter uma estética bacana. Via cenas minhas e sentia que não ficava bem em alguns ângulos. Adorei o resultado, o meu rosto ficou mais delicado. - Isso mexe com a vaidade? - Nesta viagem a Buenos Aires, fiz um investimento em mim, comprei o meu primeiro creme facial em um free shop. Sou branquinha, tenho que me cuidar. Mas acho que estou ficando mais vaidosa. - Como foi protagonizar Bonitinha Mas Ordinária? - Fiz cinco testes. É a minha estréia no cinema, um grande desafio. Tudo o que fiz nos últimos meses foi pensar neste trabalho. - Em uma cena a personagem é violentada. Como foi fazer? - Ah, deixo claro que não é uma cena de nudez, é de estupro. Quando você se depara com algo diferente, é enriquecedor. Mais do que um desprendimento do meu corpo, tive um desprendimento da alma. - E Buenos Aires? - Queria dar um presente aos meus pais. A família é minha base. Graças a ela sou atriz. Meu pai vive até hoje em São Carlos, interior de São Paulo, onde tem uma loja. E só minha mãe veio morar comigo no Rio, há seis anos. Não conhecia, adorei. - O que mais gostou? - Do clima, do charme e da arquitetura. Adorei o bairro La Boca, principalmente a rua Caminito, onde tem várias casas de tango, artistas dançando nas ruas, umas casinhas coloridas. E os argentinos são ótimos, passionais, patriotas, sabem contar muito bem a história da cidade.