Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

OS LAÇOS DE INTIMIDADE INSPIRAM MARÍLIA PÊRA

CERCADA POR TRÊS GERAÇÕES DO CLÃ, DIVA REVELA SER AGREGADORA, MAS ADMITE DÚVIDAS MATERNAIS

Redação Publicado em 09/03/2007, às 17h52

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A sobrinha Amora, a irmã Sandra, os filhos Ricardo Graça Mello e Nina Morena e a mãe, Dinorah, festejam Marília no apartamento da atriz, Rio
A sobrinha Amora, a irmã Sandra, os filhos Ricardo Graça Mello e Nina Morena e a mãe, Dinorah, festejam Marília no apartamento da atriz, Rio
Aos 63 anos de idade, Marília Pêra orgulha-se de ser uma mulher realizada na carreira, no amor e na família. Considerada uma das maiores divas do teatro brasileiro, casada há nove anos com o produtor de cinema Bruno Faria (44) - seu quarto marido - e figura agregadora entre os familiares, Marília comemora a trajetória de sucesso da forma que mais gosta: cercada pelos seus no apartamento em que reside há 17 anos, no Rio. "Comprei uma mesa maior para acomodar todo mundo", conta ela, ao lado da mãe, Dinorah Marzullo (87), da irmã Sandra Pêra (52), da sobrinha Amora (25) e dos filhos Ricardo (42) - do casamento com o ator Paulo Graça Mello, morto em 1969 -, e Nina Morena (26), da união com o escritor Nelson Motta (62). A outra filha, Esperança Motta (31), não compareceu por conta de um trabalho. "Minha essência é familiar e meus filhos herdaram isso", conta a atriz, que agora aguarda ansiosamente os netinhos. "Adoraria ter netos e queria que vivessem comigo, para poder criá-los e mandar em tudo. Essa coisa de visitinha só não dá", diverte-se. Nascida e criada nas coxias, Marília - que estreou nos palcos ainda bebê e aos 4 anos encenou a peça Medéia -, deixou também este legado aos herdeiros, todos artistas. A relação com o teatro, na verdade, começou ainda antes do nascimento da atriz, cujos pais, Dinorah e Manoel Pêra (1893-1967), casaram-se em um palco. Hoje, com 59 anos de carreira, 25 novelas e 47 peças no currículo, Marília colhe os louros do sucesso profissional - como com a recente peça Mademoiselle Chanel, que lhe rendeu diversos prêmios. Mas admite que vive dúvidas normais de qualquer mãe. - Orgulha-se por seus filhos terem seguido os seus passos? - Meus filhos não decidiram pela profissão. Assim como eu, foram apresentados a ela quando pequenos. Por isso me questiono: será um prazer ou um fardo? Será falta de opção? Será que eu não deveria ter insistido para que se tornassem médicos, arquitetos, advogados? Meu maior desejo é que sejam felizes. - Você guarda alguma culpa? - Fui permissiva na criação dos meus filhos, mas sempre soube de tudo o que se passava com eles. Estive, estou e estarei sempre aberta a qualquer coisa que me solicitem. - Você se identifica mais com algum deles em especial? - Vejo semelhanças em todos, inclusive na minha sobrinha Amora, que é cantora. Quando a ouço, e ela canta muito melhor do que eu, entendo tudo o que sente. - Com essa família de artistas, é a favor do nepotismo na profissão? - Nasci na época em que as companhias teatrais eram familiares. Se tenho parentes que atuam e são bons, claro que vou querer tê-los ao meu lado. Não chamaria de nepotismo, mas de berço artístico. - Como é Marília fora de cena? - Bastante caseira. Gosto de ler, ouvir música, escrever. E de ficar em casa com o Bruno... - Ele é o seu quarto marido. Você diria que gosta de casar? - Gosto. Aos 17 anos me casei com o Paulo, com quem fiquei por dois anos; depois vivi entre idas e vindas com o Nelsinho por 12 anos. Passei dez com o (psicanalista) Ricardo Przemyslaw e com Bruno estou há nove. Nunca fiquei muito tempo sozinha. - Bruno é 19 anos mais jovem. Isso não a deixa insegura? - Bruno é educado, firme e amigo. A diferença de idade não é problema algum, pois ele é muito maduro e me transmite segurança. - Como se conheceram? - Ele foi me assistir em uma leitura de peça e um casal de amigos nos apresentou. Ao final do espetáculo, todos íamos jantar e ele me convidou para ir no carro dele. Aceitei e logo depois ele perguntou se eu fazia questão de estar com todo mundo. Eu disse que não e fomos a outro lugar... Foi muito bom! - Você se considera vaidosa? - Sou higiênica, gosto de estar limpa. São hábitos corriqueiros como lavar bem as mãos antes de comer, ter a pele e os cabelos limpos. - Tem alguma rotina para manter o preparo físico? - O corpo do ator é muito exigido, somos quase atletas. Eu caminho cerca de dez quilômetros diariamente na Lagoa, isso mantém os meus 49 quilos em 1m63. Também faço alongamento, aqueço a voz e, antes de entrar em cena, trabalho com um personal trainer. Produção: Neca Ponichi; Beleza: Rita Fischer. FOTOS:CADU PILOTTO