Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

O sucesso de Angélica Kvieczynski

Paranaense de Toledo, Angélica Kvieczynski comemora sucesso na ginástica rítmica

Redação Publicado em 08/07/2010, às 10h04 - Atualizado em 09/07/2010, às 17h16

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Angélica Kvieczynski - Carlos Rodrigues
Angélica Kvieczynski - Carlos Rodrigues
Há dez anos, cordas, arcos, bolas e fitas já fazem parte da rotina da paranaense Angélica Kvieczynski. Com apenas oito anos, em Toledo, interior do Paraná, ela descobriu a ginástica rítmica e não largou mais. Desde então, coleciona títulos como o de campeã pan-americana juvenil em 2006 e o de tricampeã brasileira adulto de ginástica rítmica, além de estar entre as 20 melhores do mundo. Sua conquista mais recente foi o 2º lugar geral no Torneio Internacional de Ginástica Rítmica, realizado em São Bernardo do Campo, São Paulo, no último final de semana. Aos 18 anos, Angélica agora cursa Educação Física para complementar suas habilidades e se preparar para ser treinadora, um de seus principais objetivos. "Tenho dez anos de prática, agora preciso me aprimorar também na teoria. Pretendo seguir os passos de minha técnica, Anita Inês Klemann, que é um grande exemplo para mim", contou ela, em entrevista ao Portal CARAS. Apesar de estar sempre viajando para treinamentos e competições, a paranaense não pretende sair da cidade natal. "No início deste ano, passei alguns dias na Rússia treinando com a técnica Galina Bokaeva. Devo voltar para lá em agosto, por alguns dias. Mas, sou bastante apegada à minha família e à minha casa, e quero continuar morando aqui enquanto puder", revela. Animada com as perspectivas, Angélica agora se prepara para o mundial deste ano em Moscou, na Rússia, para o Pan-Americano de 2011 em Guadalajara, no México, e para as Olimpíadas de Londres, em 2012. Com uma intensa rotina de treinos - cerca de oito horas diárias -, ela aproveita para ocupar os poucos intervalos com suas atividades favoritas. "Adoro pescar! Sempre que posso, faço isso com minha família. Curtir um cineminha também é comigo mesma!", finaliza, animada.