Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

O doce lar de Tony Bennett em New York

Astro abre apartamento, conhece Fafá de Belém e fala sobre turnê no Brasil

Redação Publicado em 06/10/2009, às 11h54 - Atualizado em 07/06/2012, às 23h26

Na sala de estar, o astro com a mulher, Susan, e a mascote, Happy. - Fotos: Cadu Pilotto
Na sala de estar, o astro com a mulher, Susan, e a mascote, Happy. - Fotos: Cadu Pilotto
Lenda do jazz e do pop, ganhador de 15 prêmios Grammy e dois Emmy, com mais de 50 milhões de discos vendidos e homenagens concedidas por importantes presidentes e até mesmo pela Organização das Nações Unidas, Tony Bennett (83) dispensa apresentações. Mas foi com impressionante modéstia e simpatia que o consagrado artista recebeu CARAS, com exclusividade, em seu lar de New York. "Olá, muito prazer, sou Tony Bennett. Fiquem à vontade e não se preocupem que a cachorrinha faz barulho mas não morde!", adiantou ele, rindo, referindo-se à graciosa mascote Happy, uma serelepe maltês. Idolatrado como o maior cantor americano depois de Frank Sinatra (1915-1998), Mr. Bennett ou Anthony Dominick Benedetto, enbanja vitalidade, ainda que sua fala seja mansa e pausada. "Logo estarei no Brasil. Amo o país de vocês!", comentou ele, que em outubro faz turnê de shows em Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. "Já estive no Brasil outras vezes e falo de coração, é um dos meus lugares favoritos. A natureza, a música, a cultura, o povo... tudo é especial", afirmou ele. "Adoro viajar, seja a trabalho ou de férias, mas é nesta casa que recarrego minhas energias", emendou o simpático astro. Pudera. Seu apartamento é joia rara no mercado imobiliário da Big Apple, localizado em frente ao Central Park e com janelões que oferecem uma das melhores vistas do cartão-postal da metrópole. "Nos mudamos para cá há quinze anos e até eu, que nasci e fui criada na região de São Francisco, na Califórnia, cai de amores por New York depois de viver nesse apartamento", conta sua bela mulher, Susan (49). Agraciados com extensa luz natural, os ambientes têm décor com influência oriental. "Tony adora essa atmosfera asiática e móveis clean. Mas casa tem que ser confortável, com flores, fotos e lembranças da família", disse Susan, diante do imponente piano onde se misturam partituras, porta-retratos e até cartões de aniversário. "Fomos recebidos na Casa Branca pelo presidente Barack Obama e a primeira-dama, Michelle, há cerca de seis meses durante uma homenagem a Stevie Wonder, um grande amigo", contou Tony. "Guardo perto da janela, um livro com cartas, bilhetes e fotos de pessoas queridas como Barbra Streisand, Bob Hope, presidentes Bill Clinton e Jimmy Carter, Oprah Winfrey, Donald Trump", acrescentou ele. O baiano João Gilberto (78) também é citado pelo astro americano. "Poucos sabem mas ajudei muito na difusão da Bossa Nova nos Estados Unidos. Conheci o João no Rio, na praia, quando ele não era famoso. Ao voltar para São Francisco falei muito dele para as pessoas nas rádios e, de repente, ele disparou para o sucesso. Cultivamos esta amizade até hoje", contou Tony. Revelar novos talentos é missão levada a sério pelo astro e sua mulher, que criaram a fundação Exploring The Arts, que mantém programas variados de arte, música e dança para adolescentes e a recém- inaugurada Frank Sinatra School of the Arts. "Meu desejo é que nossos jovens tenham acesso à mellhor educação, aos melhores professores e oportunidades. Arte é um dos alicerces da formação do indivíduo. Construimos esta escola em Astoria, bairro do Queens onde eu nasci, mas quem sabe um dia possamos atender jovens de escolas públicas em todo o país", afirmou ele. "Eu, mesmo, vivo por causa das minhas duas paixões, a música e a pintura. Tenho um apartamento no prédio ao lado só para o estúdio. Pinto todos os dias, passo horas admirando a cidade. Onde vou levo meus pincéis. Fiz uma tela do Corcovado e vou voltar a pintar nesta viagem ao Brasil", contou Tony. Produtor da turnê brasileira, o empresário Rafael Reisman (39) convidou o casal para almoçar no badalado restaurante Osteria del Circo. A sua espera, Fafá de Belém (53) e a filha, Mariana (29), que estavam hospedadas no Castelo de CARAS, em Tarrytown. Bennett foi presenteado com um pandeiro e, todo gentil, se pôs a tocar. "Cada país tem sua cultura, seus modos, fãs que respondem de jeitos diferentes. Essa é uma das maravilhas do meu trabalho, poder viajar e conhecer pessoas", comentou ele, lisonjeado."Veja que maravilha estar com pessoas felizes como vocês", emendou ele, sobre a gargalhada contagiante da cantora paraense. Fafá, por sua vez, mostrava-se radiante com o encontro: "Estou tremendo, nem sei o que falar. Sabe quando imaginei dividir a mesma mesa com um astro como ele? Nem em sonho", confessou ela, que perguntou ao ídolo o segredo de sua longevidade. "Procuro sempre aprender. E a cada show sinto aquele frio na barriga como se fosse o primeiro. Quando não for mais assim, é porque está na hora de parar." Veja na TV CARAS como foi o encontro de Tony Bennett e Fafá de Belém em New York: