Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Miss Universo: “Racismo não me atinge”

A angolana Leila Lopes, eleita Miss Universo, participou de uma coletiva de imprensa após sua coroação como mulher mais bonita do planeta na noite desta segunda-feira, 12, no Credicard Hall, em São Paulo

Redação Publicado em 13/09/2011, às 02h19 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Leila Lopes, a angolana que venceu o Miss Universo 2011 - Fabio Miranda
Leila Lopes, a angolana que venceu o Miss Universo 2011 - Fabio Miranda

Dona de um sorriso marcante e uma cor invejável, a vencedora do Miss Universo 2011, a angolana Leila Lopes (25), reconhece seu potencial e acreditou que estas qualidades poderiam levá-la a vencer o título de mulher mais bonita entre as 89 beldades selecionadas mundo afora. "Meu sorriso contagia as pessoas, as fazem querer estar por perto. Tento ser uma pessoa alegre e sair bem de qualquer situação", revela Leila em coletiva de imprensa que aconteceu após a premiação na noite desta segunda-feira, 12, em São Paulo.

"Estou muito orgulhosa não só pela minha beleza, mas porque sei que minha beleza vai ajudar o mundo", revela ela que não tem cirurgia plástica alguma.

Ela já está envolvida com várias causas sociais em seu país, mas pretende focar em seu projeto contra o HIV durante seu reinado: "Tento fazer tudo o que meu país precisa e sei que o Universo também precisa da minha voz", expõe a miss consciente dos problemas que afligem a humanidade.

Desenvolta e muito simpática, Leila disse que nem sempre foi assim: "Sou muito envergonhada, a timidez foi a maior dificuldade que enfrentei durante a minha preparação e, quando as pessoas começaram a dizer que eu tinha tudo para ser miss, passei a acreditar". E, a partir do momento que decidiu concorrer ao prêmio, foi para valer: "Sigo meus sonhos, se vou atrás de algo é para conquistar. Não estou aqui para brincar, quero vencer! Queria muito ganhar essa coroa linda", revela a perseverante angolana.

A questão polêmica sobre o racismo também foi levantada, afinal é uma miss negra a eleita. E ela se saiu muito bem: "O racismo não me atinge. Racistas no século XXI devem procurar ajuda, porque não é normal", declarou.

A conversa ficou mais amena quando comentou seu apreço pelas novelas brasileiras: "Acompanho todas e gosto muito. Adoro Tarcísio Meira, Glória Pires e Lilia Cabral", contou.

Seu conselho para as pessoas é que elas se respeitem mutuamente, que gostem de si mesmas como são e, para aqueles que porventura estão em um mal caminho, apontou que a vida vale a pena. Suas dicas de beleza são: dormir bem, usar filtro solar sempre e beber muita água. Anotado?!

Confira a seleção de fotos que a CARAS Online preparou com momentos da Miss Universo 2011 e a entrevista da angolana Leila Lopes na TV CARAS: