Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Michelle, o talismã de Obama na convenção

Com as filhas, Sasha e Malia, a primeira-dama Michelle Obama ofusca rol de estrelas em festa democrata

Redação Publicado em 18/09/2012, às 16h27 - Atualizado em 22/09/2012, às 23h34

O candidato democrata sobe ao palco com a mulher e as herdeiras, Sasha e Malia. - Reuters
O candidato democrata sobe ao palco com a mulher e as herdeiras, Sasha e Malia. - Reuters

Se o sucesso da Convenção Nacional do Partido Democrata rendeu aumento de popularidade a Barack Obama (51) — aferido por pesquisas de intenção de voto logo após o evento —, também serviu para reafirmar que o maior talismã do candidato à reeleição à presidência dos Estados Unidos é a primeira-dama Michelle Obama (48). A advogada brilhou logo que pisou no palco da Arena Time Warner Cable, em Tampa, Flórida, ao lado do amado e das filhas, Sasha (10) e Malia (13). Com um discurso forte e emocionante, ela ganhou a plateia de 20000 pessoas, entre vips, estrelas de Hollywood, ídolos da música e delegados do partido. E ainda rendeu muito assunto aos fashionistas de plantão, que adoraram seu look acessível à classe média norte-americana, principal alvo da campanha de Obama. “Meu marido não mudou. É o mesmo homem com quem me casei há 23 anos, quando tinha um carro tão enferrujado que eu conseguia ver a rua passar quando olhava pelos buracos na porta. Sou testemunha de que ser presidente não muda quem você é. Revela quem você é”, afirmou ela, a bordo de vestido de seda by Tracy Reese (38), engajada estilista de Detroit. Estima-se que o vestido tenha custado cerca de 300 dólares, combinado a scarpins no mesmo tom da J.Crew cotados em 400 dólares.

Obama agradeceu a deferência da mulher, mas não adocicou seu discurso, lembrando que a presidência de seu país também lhe traz tristezas, como “mandar jovens à guerra.” E emendou: “Vocês não me elegeram para eu dizer o que querem ouvir, e, sim, para falar a verdade. E a verdade é que, para resolver os problemas dos EUA, serão necessários anos de trabalho.”

O fato é que, entre shows e falas de apoio, os Obama provaram durante a glamourosa noite que ainda são os queridinhos das celebridades, várias escolhidas para criar identificação nas comunidades de imigrantes. Representando hispânicos e judeus europeus, discursaram, respectivamente, as atrizes Eva Longoria (37) e Scarlett Johansson (27), aplaudidas pela colega Ashley Judd (44), esta também uma dedicada ambientalista. Eva, famosa pela série Desperate Housewives, disse que Obama é o único que pode proteger a classe média, ao contrário de seu rival republicano, Mitt Romney (65), que pretenderia reduzir impostos somente para os mais ricos. “Hoje estou bem de vida, mas houve um tempo em que eu precisava pagar menos impostos, como quando fritava hambúrgueres no Wendy’s e dava aulas de aeróbica para pagar as contas”, lembrou ela.

Já a loira Scarlett, de blazer e camiseta com a bandeira americana estilizada, fez um apelo para que mais jovens compareçam às urnas. “Jovem América, por que estamos falando à meia voz, se temos tantos assuntos que nos afetam?”, questionou a musa, que desde Fevereiro namora com o diretor de criação Nate Naylor (38) mas foi vista na plateia de mãos dadas com o ex, o roqueiro e ator Jared Leto (40).

Maior cabo eleitoral do atual mandatário, o ex-presidente Bill Clinton (66) emprestou seu prestígio ao oficializar a candidatura de Obama e foi muito aplaudido. “Quero nomear um homem ‘frio’ por fora, mas que arde pelos EUA por dentro; um homem que acredita que podemos construir uma nova economia para o sonho americano guiada pela inovação e pela criatividade, a educação e a cooperação”, disse Clinton, em discurso de uma hora pontuado por elogios à primeira-dama, Michelle, e ao vice-presidente, Joe Biden (69), que teve sempre ao seu lado a mulher, a educadora Jill Biden (61).