Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

MAYTÊ PIRAGIBE VENCE OS DESAFIOS

NO RIO BOAT SHOW, ATRIZ DA RECORD ORGULHA-SE DE SUA DETERMINAÇÃO

Redação Publicado em 27/04/2007, às 14h38

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Maytê, a Joana de Vidas Opostas, no flybridge do iate Ferretti 760
Maytê, a Joana de Vidas Opostas, no flybridge do iate Ferretti 760
por Luciana Marques Por trás do tipo mignon de Maytê Piragibe (23) - 1m54 de altura e 45 quilos - existe uma mulher de personalidade forte, que não teme desafios. Em seu segundo trabalho na Record, após cinco anos de TV Globo, ela vem recebendo elogios pela atuação como a líder comunitária Joana, de Vidas Opostas, sua primeira protagonista. "Sou segura no que quero, corro atrás", afirma ela, que começou a fazer comerciais com quatro anos. "Sonho em fazer cada vez mais personagens diferentes e me superar a cada trabalho", garante Maytê, solteira há um ano, desde o fim do namoro com o ator e cantor Daniel Del Sarto (32). "Os homens estão meio frouxos", divertese ela, em visita ao Rio Boat Show, na Marina da Glória, Rio, onde conheceu os lançamentos da indústria náutica e apreciou a bela vista da Baía de Guanabara. - A família é sua base? - Meus pais, Teresa e Fenelon, são tudo para mim. Quando morei sozinha, em São Paulo, para gravar Cidadão Brasileiro, vi o quanto sentia falta deles e da Maíra, minha irmã. Somos unidos. Eu dizia que queria liberdade, mas agora só vou sair de casa para me casar. - Sonha com isso? - Sou louca para casar, ter filhos. Mas a fase de solteira é de descobertas. Tem que se amar antes de partilhar a vida com outra pessoa. - É namoradeira? - Não sou de ficar, sempre tive namoros longos. Preciso conhecer a pessoa antes de me envolver. Beijo por beijo é vazio, sexo por sexo também. E estes encontros raros, de almas gêmeas, estão difíceis de acontecer. As mulheres estão muito independentes. Isto assusta os homens. Muitos vivem ainda com o pensamento machista de que eles têm que atacar, ligar. Mas estou bem, aprendendo a curtir. - Ser baixinha incomoda? - Já fui encanada, passou. Se hoje tenho cara de pirralha, com 15 me achavam uma criança. Os homens gostam das pequenas, de proteger. Meu último namorado tinha 1m90 e nunca tive problema. Agradecimentos: Farm e Checklist; Produção: Neca Ponichi; Beleza: Duh.FOTOS: CADU PILOTTO