Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Mau humor e irritabilidade às vezes indicam que a criança dorme pouco

Redação Publicado em 13/09/2011, às 15h52 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

.
.

Todos os humanos, é fundamental para a saúde, devem dormir diariamente. É importante para o descanso e a reposição das energias. Dormir é importante  também porque durante o sono o organismo produz substâncias que dão bem-estar e favorecem a saúde. É sobretudo enquanto dormem, por outro lado, que o organismo das crianças produz o hormônio do crescimento. Dormir é importante, enfim, para o bom funcionamento dos mecanismos da atenção e a consolidação da memória, ou seja, para que o cérebro fixe tudo que se vivenciou no dia anterior. Mas muitas crianças e adolescentes em todo o mundo não estão dormindo o suficiente, com consequências graves.

Existem pesquisas que comprovam este problema. Uma delas, feita em 2009 pela doutora Jodi A. Mindell, da Saint Joseph’s University, da Filadélfia, e pela doutora Mary Karskadon, da Brown University, de Rhode Island, ambas dos EUA, concluiu que as crianças e os adolescentes não estão conseguindo dormir tanto quanto precisam. Elas mesmas, coordenando estudo feito em escolas de vários países e publicado no jornal científico norte-americano Sleep Medicine, apuraram que 10% a 75% dos pais entrevistados revelaram que os filhos têm problemas para dormir. A área de saúde, aliás, já classifica o fenômeno como endemia.

São muitas as causas. As mais importantes são: a) a própria existência de luz elétrica por toda parte interfere na qualidade do sono; b) a vida sobrecarregada dos pais, sobretudo nas grandes cidades, que muitas vezes pegam tarde os filhos na escola, eles se alimentam tarde, dormem tarde, porém acordam cedo, porque o horário da escola é fixo; c) hábitos inadequados dos pais, que interferem na vida dos filhos e eles dormem tarde; d) televisão e computador no quarto das crianças; e e) uso excessivo de televisão, celular e Internet.

As pessoas, vale destacar, têm necessidades distintas de sono. Há adultos para os quais basta dormir 6 horas, enquanto outros precisam de 8 horas para se sentir descansados. Já o sono de crianças varia com a faixa etária. Pequenos com menos de 2 anos costumam dormir pelo menos 12 horas. Recém-nascidos dormem quase o dia inteiro, é normal.

Os sintomas da privação crônica do sono são: mau humor, irritabilidade, agressividade, agitação, dificuldade de relacionamento, raciocínio lento, falta de atenção e memória e sonolência excessiva em especial na escola, dificuldade de prestar atenção nas aulas e memorizar as lições, o que pode levar a queda no rendimento escolar. Além disso, revelam pesquisas recentes, quem dorme mal tem problemas na metabolização das gorduras e fica mais suscetível a desenvolver obesidade.

O ideal para os pais é evitar que o problema ocorra com os filhos, comprometendo seu desempenho e sua saúde. Podem fazer isso com algumas medidas básicas. Criar uma rotina para a vida familiar. Estabelecer horário para os filhos voltarem de festas, deixarem as brincadeiras no prédio, verem televisão, usarem a Internet e irem para o quarto. Não deixar que vejam filmes agitados ou violentos próximo do horário de dormir. Criar o hábito da leitura, que pode ajudá-los a se concentrar e pegar no sono.

Os sintomas de privação do sono costumam desaparecer algum tempo depois que a criança passa a dormir bem. Se isso não ocorrer, os pais devem levá-la ao pediatra para uma avaliação.