CARAS Brasil
Busca
Facebook CARAS BrasilTwitter CARAS BrasilInstagram CARAS BrasilYoutube CARAS BrasilTiktok CARAS BrasilSpotify CARAS Brasil

MARCOS FROTA FAZ UMA VIAGEM ELETRIZANTE

NA INGLATERRA, ATOR ASSISTE À CORRIDA AUTOMOBILÍSTICA E COMEMORA NOVA FASE

Redação Publicado em 07/06/2006, às 17h09

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Feliz com a retomada da carreira e tranqüilo no amor, ele vai a Londres para conferir a 3ª etapa do Campeonato Mundial de Turismo e conhece o Admiralty Arch.
Feliz com a retomada da carreira e tranqüilo no amor, ele vai a Londres para conferir a 3ª etapa do Campeonato Mundial de Turismo e conhece o Admiralty Arch.
por Adriana Trujillo Ator e trapezista, Marcos Frota (50) está habituado a conviver com a adrenalina em sua rotina de vida. Em sua recente viagem à Inglaterra, ele presenciou a vibração de uma modalidade automobilística ainda inédita no Brasil: o Campeonato Mundial de Turismo WTCC FIA, no Autódromo de Brands Hatch. Empolgado, conferiu os treinos, percorreu os boxes e assistiu à 3º etapa do segundo evento mais importante da Federação Internacional de Automobilismo. "É a primeira vez que assisto à uma corrida tão de perto. Foi emoção pura", disse ele, em êxtase. Ciceroneado pelo único brasileiro da prova, Augusto Farfus Júnior (21), Marcos deu uma volta pelo trajeto da pista ao lado do piloto paranaense. Os dois conversaram sobre a ida da competição para o Brasil - nos dias 1 e 2 de julho, em Curitiba - e falaram da admiração por Ayrton Senna (1960- 1994). "Ter essa prova importante no Brasil só contribui para o país. Ainda mais sabendo que temos para quem torcer. O Augusto é uma grande revelação", festeja ele que, após a experiência, promete estar no autódromo de Curitiba para torcer pelo piloto na quinta etapa do mundial, que passará por dez países. Durante a viagem, Marcos passeou por Londres, assistiu um musical e comprou presentes para os filhos, Davi (7) - fruto da relação com Carolina Dieckmann (27) - e Amaralina (25), Apoena (24) e Taynã (15)-de seu primeiro casamento com Cibele Cláudia M. Ferreira, já falecida. Enquanto fazia uma agradável caminhada pelas ruas londrinas, admirando a arquitetura, foi reconhecido por fãs. Até uma lituana o abordou. "A teledramaturgia brasileira faz muito sucesso pelo mundo. Fico lisonjeado com o assédio", avalia o ator, que contabiliza 25 anos de carreira. Após viver uma fase complicada com a separação da segunda mulher, Marcos voltou a colher os frutos do sucesso com o personagem Jatobá na novela América e vive uma fase madura e tranqüila. "Essa viagem marca o início de um novo ciclo. Estou apaixonado pela vida. Só falta um grande amor para celebrar esse momento maravilhoso", justifica ele, deixando um ar de mistério sobre sua vida amorosa. - Você curte automobilismo? - Assisto às corridas pela TV e já havia ido a um autódromo no Brasil, mas nunca fiquei tão perto dos pilotos, dos carros. Foi uma delícia, pura adrenalina. Era fã de Ayrton Senna e estar num lugar onde ele competiu tantas vezes é a realização de um sonho. - Já encontrou um novo amor? - Quero um encontro de almas, o amor verdadeiro e eterno, onde exista fidelidade e cumplicidade. Estou curtindo a minha solteirice com muito beijo na boca. Me sinto pronto para o amor. - Mas não apareceu ninguém que mexesse com você? - Tenho conhecido pessoas maduras. Está divertida essa coisa da paquera, do olhar. Quando pintar uma paixão de verdade terei o maior prazer de apresentá-la aos meus filhos e ao mundo. - Você é romântico? - Achei que meus dois casamentos seriam para sempre e me enganei. Quando se está apaixonado tudo fica mais iluminado. Não há nada melhor do que um abraço da pessoa amada para repor as energias e acalmar a alma. - E sua vida profissional? - O Jatobá iluminou a minha vida, curou a minha dor e mudou a minha carreira. Tenho 25 anos de estrada, mas por um tempo era lembrado apenas como o ex-marido da Carolina. A novela me proporcionou um exercício de cidadania incrível. Além disso, criei o projeto nacional Universidade Livre do Circo, em parceria com o Ministério do Turismo e a Secretária de Turismo de Minas Gerais. Também fui convidado pelo Atílio Riccó para fazer teatro em Portugal. Minha vida não poderia estar melhor.