Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Mansão de Constância, de ‘Lado a Lado’, reflete a elegância de sua proprietária

A mansão de Constância (Patrícia Pillar) e Assunção (Werner Schüneman), de ‘Lado a Lado’, reflete o luxo, a elegância e a riqueza de seus proprietários e das famílias da época. Decoração foi inspirada nos requintes do estilo francês. Conheça detalhes

Redação Publicado em 08/12/2012, às 11h49 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Conheça os detalhes da mansão de Constância em 'Lado a Lado' - TV Globo
Conheça os detalhes da mansão de Constância em 'Lado a Lado' - TV Globo

O ambiente em que se vive diz muito a respeito de uma pessoa. A mansão de Constância (Patrícia Pillar, 48) e Assunção (Werner Schüneman, 53), personagens da novela Lado a Lado, exemplificam essa afirmação.

O casal, que já teve título de nobreza mas perdeu o prestígio com a chegada da república, manteve o status de riqueza e elegância que são refletidos na casa da família. A residência revela todo o luxo e a opulência das famílias nobres. O cenógrafo Fábio Rangel, que projetou a casa, conta que se inspirou em fotos de prédios de embaixadas na França.

"A construção da casa segue o estilo neoclássico. Esse estilo é o mesmo dos grandes castelos da nobreza francesa, e por isso muito usado pelas famílias cariocas ricas que possuíram títulos de nobreza herdados ou comprados na época do período do café”, explicou Fábio. “Esse estilo estava associado ao status de nobreza e riqueza e por isso foi escolhido para compor o cenário da personagem”.

O mobiliário da mansão foi baseado no estilo Luís XV (rei da França entre os anos 1715-1774), muito usado em palácios. “Foi um dos estilos estéticos franceses de maior impacto no período de regência francesa e muito difundido pelo mundo", contou o cenógrafo.

A cenografia contou ainda com ajuda da equipe de direção de arte em um trabalho de parceria. Para chegar ao cenário perfeito, os detalhes são muito importantes. As peças da mansão de Constância foram adquiridas em feiras de antiguidades e lojas especializadas. "As licoreiras foram compradas em São Paulo, assim como o kit de prata. Também foram comprados talheres, castiçais e lampiões de época. Algumas coisas são feitas por nós. Particularmente, eu adoro as roupas de cama, os guardanapos com monogramas e a penteadeira", afirmou Nininha Médicis, produtora de arte da novela.

Para se ter uma ideia de como os detalhes podem fazer toda diferença, os quadros que decoram as paredes da sala de estar e de jantar da residência são reproduções de obras do artista francês Jean-Honoré Fragonard, que tinha como tema recorrente o amor e a traição. "Foi uma brincadeira em relação à personalidade de Constância", revelou Fábio Rangel.