Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Mais introvertido que o Didi, Renato Aragão elege a família como o mais importante de sua vida

Redação Publicado em 23/12/2012, às 23h40 - Atualizado em 10/05/2019, às 11h20

Renato Aragão - Selmy Yassuda
Renato Aragão - Selmy Yassuda
Renato Aragão deu um depoimento bastante emocionado sobre sua infância, carreira e família no quadro 'O que Vi da Vida', do 'Fantástico', neste domingo, 23. Conhecido pelo humor leve do personagem Didi, de 'Os Trapalhões', ele confessa: "Eu queria ser o que o Didi é, mas sou completamente o avesso"

O Didi extrovertido das telinhas do humor não se repete na vida real - Renato Aragão (77) confessou que é o avesso de seu personagem no quadro O que Vi da Vida, do Fantástico, neste domingo, 23. Em depoimento bastante emocionado, ele disse: "Eu queria ser o que o Didi é, mas sou completamente o avesso. Eu não saio de casa. Para ir a um evento é a coisa mais difícil do mundo. Para aceitar esse convite de vir aqui, há um mês que eu não durmo”, contou.

Renato recuperou passagens de sua infância, das dificuldades que enfrentou para conquistar o seu espaço e destacou a importância do ídolo Oscarito (1906-1970) em sua carreira: “Sou o oitavo filho da família, eu achava que não ia dar certo na vida. Até que quando cheguei aos 15 anos apareceu uma pessoa na minha vida que foi o Oscarito, eu fui ver o filme do Oscarito uma, duas, cinco, 18 vezes, e disse que ainda ia ser como esse cara”.

Sobre o grupo Os Trapalhões, formado por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, Renato lembrou: "Quando eu vim pra TV Globo as pessoas acharam que era humor ingênuo, humor desqualificado. Até que ligaram para um poeta famoso para uma entrevista, acho que foi o Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), e ele disse que não podia porque estava vendo Os Trapalhões. Daí todo mundo começou a ver Os Trapalhões", ironizou.

Renato que chegou a fazer um filme a cada semestre, recordou também a sua participação à frente do Criança Esperança e as experiências marcantes de crianças que passam por dificuldades. "Costumo dizer que meu nome vou mudar para ‘Renato Esperança’", brincou.

O cara que é o avesso do Didi, elegeu os netos, filhos e a mulher como as coisas mais importantes de sua vida. Respondendo a pergunta chave do programa, Renato diz o que viu da vida: "Eu vi muita coisa boa, muita gente boa, tentando melhorar a cara da sociedade atual. Vi gente dando bom exemplo e muita gente dando mau exemplo também".

Assista a entrevista completa: