Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

A magia da Turquia cativa Paula Pereira

Atriz Paula Pereira vibra com seu papel cômico em 'Salve Jorge' e conta sobre a rotina familiar

Redação Publicado em 18/09/2012, às 10h23 - Atualizado em 19/09/2012, às 01h01

Em viagem de lazer, a atriz admira a arquitetura do Palácio Topkapi, em Istambul. - João Miguel Junior
Em viagem de lazer, a atriz admira a arquitetura do Palácio Topkapi, em Istambul. - João Miguel Junior

A atriz Paula Pereira (44) adora conhecer novos lugares e culturas. Casada com Marcos Schechtman (50), diretor de núcleo da Globo responsável por Salve Jorge, ela aproveitou a viagem do marido à Turquia, onde grava cenas da novela que estreia em outubro, para acompanhá-lo. “Adorei a Capadócia, cheia de montanhas e cavernas ainda habitadas. Foi um passeio maravilhoso”, destacou. Paula, que também está no elenco da trama de Glória Perez (64), pôde usufruir da viagem porque não gravou na Turquia. Ela participa de outro núcleo, que vai retratar o cotidiano da comunidade carioca do Complexo do Alemão, como a manicure Nilceia. Para interpretá-la, já vem tendo aulas de colocação de unhas de porcelana. “Estou apanhando para aprender, mas não vou treinar com nenhuma atriz, não quero tirar bife de ninguém. Acho bacana que nela tudo será tendência, da cor das unhas ao sapato, muita coisa fosforescente. Vou brincar sempre”, adiantou, rindo. Apesar de já estar se divertindo com a personagem, ela só não quer ficar rotulada como uma atriz ligada somente ao humor, já que em trabalhos anteriores, como Caminho das Índias e América, também explorava esse universo. “Me acham engraçada, mas tenho defeitos, como todo mundo, acordo de mau humor. E não acho que fazer comédia seja mais difícil. É preciso ter um olhar interno cômico sobre a vida. Dizem que sei fazer, mas não sou atriz de comédia e sim de drama e comédia... Gosto também de papéis densos, venho de uma escola de teatro de composição. Meu tesão é não fazer sempre igual”, justificou.

– A cobrança é maior por ser dirigida pelo marido?

– Minha carreira nunca esteve vinculada à dele. Já atuava quando o conheci, minha família é formada por artistas. Não acho que Marcos possa facilitar o caminho. Estou aberta para trabalhar com todos, viver outras experiências.

– Há algum segredo para manter com sucesso um relacionamento de 24 anos?

– Toda união tem altos e baixos, somos diferentes, precisamos chegar a um consenso o tempo todo. Dá trabalho, é preciso ceder aqui, ali. Mas admiro Marcos pela ética, e por ele ser um cara sedutor e positivo e ter o dom da palavra.

– Os dois filhos falam em seguir a carreira de vocês?

– A Júlia, de 21 anos, participou de O Clone, tem o dom de escrever e dirigir, mas, graças a Deus, não quer. Vai cursar Relações Internacionais. E Daniel, de 18, é uma incógnita. Não desejo que sejam artistas. A carreira é bonita, mas difícil. Atores não saem direto da escola para os meios de comunicação. Não existe essa seleção. Na área, atuam modelos, big brothers... Não é fácil, requer perseverança.