Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Lula tem tumor de agressividade média, dizem médicos

Ex-presidente Lula não irá precisar de cirurgia e deve ter sessões de radioterapia, após passar por quimio

Redação Publicado em 31/10/2011, às 11h49 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

O ex-presidente Lula no Hospital Sírio-Libanês, onde fará sessões de quimioterapia para combater um câncer na laringe. Ele chegou acompanhado da mulher, Marisa Leticia - Divulgação/Instituto Lula
O ex-presidente Lula no Hospital Sírio-Libanês, onde fará sessões de quimioterapia para combater um câncer na laringe. Ele chegou acompanhado da mulher, Marisa Leticia - Divulgação/Instituto Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (66), que foi diagnosticado com um tumor maligno na laringe no último sábado, 29, irá começar seu tratamento contra o câncer nesta segunda-feira, 31, no Hospital Sírio-Libanês. Um cateter será colocado em seu ombro direito, por onde ele irá receber os medicamentos da quimioterapia.

A equipe médica que está cuidando do ex-Presidente, composta pelos doutores Roberto Kalil Filho, Paulo Hoff, Artur Katz e Luiz Paulo Kowalski, se reuniu com a imprensa na manhã desta segunda, 31, para falar sobre o tratamento.

De acordo com eles, o tumor de Lula foi diagnosticado logo que os sintomas começaram a surgir. “Podemos dizer que foi diagnosticado relativamente em fase inicial, mas não é uma coisa simples de se definir”, afirmou Dr. Paulo Holf, que classificou o tumor como ‘intermediário’ e de ‘agressividade média’.

"O fato de ser um tumor localizado é muito importante. A chance de cura é muito maior", completou. O tumor está na região supraglótica da laringe, o que é visto como outra vantagem para os especialistas, pois não afeta diretamente as cordas vocais. “Ele não terá a voz que tem hoje, mas irá falar normalmente”, comentou o cirurgião Luiz Paulo Kowalski.

Os médicos também descartaram, pelo menos por enquanto, a possibilidade de operar Lula. Nesta segunda, ele começa o primeiro ciclo de quimioterapia. Ele vai passar a noite no Hospital, onde irá receber os medicamentos. Amanhã ele irá voltar para casa, onde irá permanecer em infusão contínua durante 120 horas. 

De acordo com os médicos, os resultados da quimioterapia poderão ser vistos depois de 40 dias. Se tudo correr bem, entre os dias 10 e 12 de janeiro, o ex-presidente irá passar para segunda etapa do tratamento, dando início às sessões de radioterapia. 

Segundo Roberto Kalil Filho, Lula está otimista ao tratamento e quando soube que iria perder o cabelo e sua famosa barba por conta da quimioterapia, ele respondeu: “tudo bem”.

Tumor na laringe

O tabagismo é apontado como a principal causa para o tumor do ex-presidente Lula, que fumou durante décadas e largou o vício recentemente. Os médicos explicaram que este tipo de câncer é mais comum em homens e acontece principalmente pelo consumo frequente de cigarros e bebidas alcoolicas. 

A doença também se agrava com a poluição. Durante a coletiva, os especialistas explicaram que o tumor é diagnosticado em 7 a cada 100 mil pessoas na média mundial. Porém, em São Paulo, a média aumenta para 15 a cada 100 mil.