Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Luiza Brunet em período de descobertas em Paris

A seis meses de completar 50 anos, Luiza Brunet admite o desejo de celebrar a data com um novo amor

Redação Publicado em 14/11/2011, às 14h17 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Luiza, que já foi várias vezes à capital francesa, se alegra ao conhecer a Ponte das Artes, onde casais prendem cadeados para simbolizar a paixão e uma relação sem fim.
Luiza, que já foi várias vezes à capital francesa, se alegra ao conhecer a Ponte das Artes, onde casais prendem cadeados para simbolizar a paixão e uma relação sem fim.

Poucos conseguem permanecer indiferentes à magia de Paris. É justamente o caso da empresária e ex-modelo Luiza Brunet (49), que não se importou nem um pouco de ter apenas três dias para se entregar ao charme da Cidade Luz. “É o lugar que mais gosto de visitar no mundo, já perdi as contas de quantas vezes vim. E, quando descubro uma novidade, a viagem fica mais animada”, conta ela, que se hospedou no elegante Le Bristol, onde costumam ficar estrelas como George Clooney (50), Brad Pitt (47) e Angelina Jolie (36). A novidade da vez foi a visita à Ponte das Artes. Uma passarela sobre o rio Sena, onde casais apaixonados prendem cadeados para simbolizar o amor e a relação sem fim. Ironicamente, a empresária continua solteira desde o fim, em 2007, do casamento de 24 anos com Armando Fernandez (61), pais de seus filhos, Yasmin (23) e Antônio (13). “Não existe um homem na minha vida ainda, embora sempre queiram me arrumar namorados. Tenho amigas casamenteiras (risos). Mas quando você fica mais velho, se torna mais impaciente para certas coisas”, diz, na contagem regressiva para completar meio século. “Faltam seis meses. Quem sabe não encontro alguém para comemorar junto os 50 anos?”, sonha.

– Mesmo viagens curtinhas como essa valem a pena?

– Viajar é como ter seu livro interno escrito. Entramos em contato com outras culturas, paisagens, artes. Há tudo isso em Paris, além de lugares muito gostosos que sempre frequento, como a Brasserie Lipp e o Cafe de Flore. É uma cidade romântica, charmosa, as pessoas são descoladas, uma boa mistura.

– Paris é a cidade do amor, incomoda vir aqui solteira?

– O tempo de achar um novo grande amor depende muito de uma mulher para outra. Não faço o estilo de quem aposta em experimentos. Paqueras acontecem o tempo todo, alguém vem e se declara, mas quando você não está preparada, acaba botando defeito. Tenho consciência de que não vou conseguir mudar alguém maduro, então sigo tranquila procurando essa pessoa incrível. Sei que existe alguém que combina comigo.

– Por falar em alguém maduro, a chegada dos 50 assusta?

– Penso nisso todo dia, é um marco, mas está pesando, é meio estranho. Claro que hoje em dia é muito fácil ultrapassar essa idade, mas já tem a menopausa, aqueles calores, sentimos mais cansaço. A gente tenta driblar através de exercício físico, boa alimentação e cuidados, mas tem que ter vocação para envelhecer bem e não pirar. O estilo de vida de uma mulher de 50 anos é diferente de uma de 20. O que mais vejo é a madura querendo se comportar como uma garotinha. Acho isso horroroso. Cuidado é fundamental e a mulher tem que estar sensual sempre.

– E você se vê assim, sensual?

– Me sinto muito bem, não tenho nenhum tipo de grilo. A mulher de 50 hoje mantém a sensualidade e a sexualidade bem ativa. Está aí Demi Moore, incrível aos 48 anos, que não me deixa mentir.

– Pensa em fazer plásticas?

– Planejo um lifting no rosto, mas não agora. Sou contra qualquer exagero, na atitude ou estética.

– E num balanço do tempo, o que estaria faltando?

– Netos! Vou adorar quando Yasmin tiver filhos. Fui boa mãe e sei que serei igual como avó. Ela fala em adotar desde pequena e é algo que eu também penso em fazer. O bom é que não existe prazo de validade para ser mãe adotiva. Daqui a pouco Antônio vai estar mais maduro e estarei jovem ainda, então, terei o privilégio de adotar uma criança.