Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Luan Santana revela que não gosta de voar: ‘tenho medo de avião’

Durante entrevista à Gianne Albertoni, cantor sertanejo Luan Santana declarou que se não fosse músico, trabalharia com algo ligado a mato e bichos

Redação Publicado em 03/01/2012, às 12h18 - Atualizado em 08/08/2019, às 15h43

Luan Santana - Caio Guimarães
Luan Santana - Caio Guimarães

O cantor Luan Santana (20) revelou à Gianne Albertoni (30), do programa da Record Hoje em Dia, que tem medo de avião, mesmo tendo que voar durante boa parte do ano devido à sua “agitada” agenda de shows. “Tenho medo de avião, sim!”, afirmou.

Lembrando que em outubro de 2011, a aeronave que o levava para Macaé, no Rio de Janeiro, sofreu uma pane no radar em pleno voo, além de passar por turbulência; foi preciso fazer um pouso forçado de emergência em São José do Rio Preto, interior de São Paulo.

O astro da música sertaneja ainda acrescentou que sua vida profissional acaba o afastando de seus colegas de infância. “Tenho mais contato é com a galera da banda mesmo. Meus amigos da minha cidade (Campo Grande, no Mato Grosso do Sul) eu falo mais por telefone”, disse.

Ao falar do seu grande sonho, ele contou. “Espero cantar com Roberto Carlos, todo artista tem esse objetivo”.

Quando perguntado se pratica esportes, Luan respondeu. “Gosto de jogar bola, mas faz um tempo que não jogo”. Já ao ser questionado o que seria se não fosse cantor, ele surpreendeu dizendo. “Gosto muito de mato, bicho, faria algo relacionado a isso...”.  Porém, admitiu. “Nunca fui muito de montar a cavalo. Nunca fui muito em fazenda na minha vida”.

Durante matéria com a Gianne, que pegou uma carona no jatinho do cantor e acompanhou uma de suas apresentações, ele preparou um chimarrão à modelo e apresentadora e contou. “Tomo quando reunimos os amigos, a galera...”. “Muito bom!”, aprovou Albertoni.

Sobre as diferenças entre os fãs dos diferentes estados do Brasil, ele disse. “Cada cidade é uma emoção diferente, cada galera tem seu comportamento. Todos são fãs e temos que respeitar. Quando subo no palco só penso na galera”.