Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

LIVING DESIGN: Escolhendo papéis de parede

Depois de terem ficado no esquecimento por algum tempo, os papéis de parede voltam a ser um grande hit do design de interiores

Redação Publicado em 18/05/2011, às 14h38 - Atualizado em 01/07/2011, às 15h14

Estampas ousadas, às vezes, são indicadas para apenas uma das paredes - Divulgação
Estampas ousadas, às vezes, são indicadas para apenas uma das paredes - Divulgação

Depois de terem ficado no esquecimento por algum tempo, os papéis de parede voltam a ser um grande hit do design de interiores. Ótimos para criar efeitos de proporção num ambiente e até disfarçar defeitinhos, eles estão disponíveis nos mais variados padrões e estampas, e apresentam opções para todos os gostos e bolsos. Basicamente, existem dois tipos de papel de parede: os feito à mão e os fabricados à máquina. Os primeiros são mais caros e mais difíceis de instalar, mas podem ser feitos sob encomenda e duram em média 30 anos sem desbotar ou rasgar. Já os do segundo tipo, em geral, são feitos de vinil, o que permite uma limpeza mais profunda. No entanto, o que pode ser classificado como papel de parede vai muito além dessas categorias, já que existem variedades feitas com fibras naturais, tecidos, papeis metálicos e outros materiais. Alguns cuidados devem ser tomados na hora de escolher o melhor papel de parede para sua casa, tanto no que diz respeito à preparação da superfície (ela precisa estar lisa e uniforme), quanto em relação ao estilo que deve ser adotado em cada cômodo. Em espaços onde há muita circulação, como cozinha e corredores, os entendidos no assunto aconselham colocar um papel de vinil, que é mais fácil de limpar. Mais delicados, os papéis metálicos ou de fibras naturais devem ficar longe de qualquer objeto áspero. Sobre estampas, uma recomendação é usar as grandes em espaços grandes, e as pequenas em espaços pequenos. Mas é possível também cobrir apenas uma das paredes de um cômodo pequeno com o papel de estampa grande sem maiores problemas. Duas estampas diferentes podem estar no mesmo ambiente, mas use o bom senso (estético). Florais são bem mais fáceis de combinar do que o xadrez, e misturar fibras naturais não fica legal. Uma dica é levar uma amostra para casa para checar se o efeito é mesmo o que você estava esperando. Para que você se inspire, coloquei na galeria de fotos da coluna uma série de imagens de ambientes decorados com diferentes tipos de papeis de parede - não deixe de conferir. E se você quiser saber mais dicas bacanas sobre decoração visite também o meu blog (www.monicabarbosa.com.br ), onde também posto novidades sobre artes, arquitetura e design todos os dias. Até a próxima semana!