Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

LETÍCIA SPILLER E LUCÉLIA: CARA-PINTADA

Engajadas na causa ambiental, elas prestigiam o 7o Prêmio Chico Mendes

Redação Publicado em 29/12/2008, às 17h27 - Atualizado às 18h30

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Incentivados por Lucélia Santos (51), famosos do mundo das artes, da política e da área ambiental se reuniram para prestar um tributo ao líder seringueiro Chico Mendes, assassinado há 20 anos em Xapuri, Acre. A homenagem aconteceu no Espaço Tom Jobim, Rio, durante a entrega da sétima edição do Prêmio Chico Mendes de Meio Ambiente, dado pelo governo federal a personalidades, ONGs e municípios que se destacam na defesa ecológica da Amazônia. Com rostos pintados e roupas confeccionadas por tribos da floresta, Lucélia e Letícia Spiller (35 ) apresentaram a cerimônia. "Quando conheci a tribo Ashaninka, no Acre, na fronteira com o Peru, tive a clara sensação de que os índios vão guardar a nossa terra e ajudar a proteger a nossa floresta", ressaltou Letícia, que não estava acompanhada pelo novo namorado, o ator paulista Fernando Alves Pinto (39), da série Dilemas de Irene, exibida pelo GNT. A cerimônia Salve Amazônia - Tributo a Chico Mendes contou com a apresentação dos cantores Ney Matogrosso (67) e Gilberto Gil (66), com o filho Bem (23), e da Orquestra Imperial. "Não teria como recusar o convite da Lucélia. A causa é nobre", defendeu Ney. "Ajudei Chico Mendes a criar o projeto das reservas extrativistas. Estou nessa luta há mais de 20 anos. Depois do assassinato dele, dei uma recuada, porque a situação ficou muito grave para algumas pessoas", contou Lucélia, ao lado de Victor Fasano (49) e Christiane Torloni (51), criadores do manifesto Amazônia para Sempre, que já colheu mais de 1,1 milhão de assinaturas em defesa da Amazônia. Na platéia da celebração estavam ainda Carlos Minc (57), ministro do Meio Ambiente, com a mulher, Guida Galamba (56), a atriz Helena Ranaldi (42) com o filho, Pedro (11). Sandino (22) e Angélica, filho e neta do líder seringueiro acreano, foram homenageados com buquê de rosas. Vencedora do Prêmio Chico Mendes na categoria Liderança Individual, a ambientalista Ana Maria Ribeiro Langue recebeu o diploma das mãos de Mauro Pires, representando o Ministério do Meio Ambiente. O jornalista Zuenir Ventura (77) entregou a Siã Kaxinauá, da Associação de Seringueiros Kaxi nauá do Rio Jordão, a láurea de Associação Comunitária. Os ganhadores em Organizações Não-Governamentais foram Nino Fernandes, do Conselho da Tribo Ticuna, e Carlos Souza Júnior e Sanae Aiáshi, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia. Vindas de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, Solimara Lígia Moura e Ivanilde Rigo levaram para a cidade a honraria na categoria Municípios. Já o menino André Araújo (10) e Sylvia de Albernaz Machado, da Associação Vaga Lume, ganharam por Educação Ambiental. Em Negócios Sustentáveis, os vencedores foram Luís Alberto Pereira e Genilso André Kazomae, representantes da Associação Halitinã.