Revista CARAS
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Letícia Sabatella escreve tango, canta e dança

Em Curitiba, sua terra natal, atriz global Letícia Sabatella surpreende cantando e dançando um tango de sua própria autoria

Redação Publicado em 21/07/2010, às 17h34 - Atualizado às 19h20

Letícia Sabatella interpreta o tango de sua autoria - Divulgação
Letícia Sabatella interpreta o tango de sua autoria - Divulgação
No último final de semana, Curitiba foi invadida pelo ritmo portenho. Sede oficial 2º Brasil Tango Championship, maior evento nacional do gênero, e uma das sub-sedes mundiais do evento, a capital paranaense recebeu diversas atrações dentre shows de dança e música, além do tradicional campeonato de tango de salão e tango de palco. "A cidade foi selecionada por ter sido avaliada como cidade neutra, cultural e ecumênica no panorama do tango brasileiro", afirmou o produtor do evento nacional, Oldemar Teixeira. A surpresa ficou com a atriz curitibana Letícia Sabatella que, em casa, demonstrou todo seu talento musical cantando e dançando um novo tango de sua própria autoria. Tonteria, nome dado à composição e que significa "bobeira", tem letra e música da atriz com arranjos de Analía Goldberg, do grupo Ojos de Tango. Feliz, Letícia dedicou a obra à avó, Jacyra Prado Sabatella, de 99 anos. Nos bastidores, Letícia era das mais animadas, na companhia do dançarino Wellington Lopes, que a acompanhou na performance. O tango eletrônico, também conhecido como tango novo, foi outra novidade. "No tango eletrônico, a leveza coreográfica encontra-se com o espírito de improvisação dos jovens", explicou Teixeira, ao lado dos atuais campeões mundiais de tango Jonathan Spitel e Betsabet Flores que prestigiaram o evento. O Portal CARAS conseguiu a letra do tango Tonteria, escrito pela atriz Letícia Sabatella. Confira! Tontería por Letícia Sabatella "Um poco demasiado al tiempo de esta tormenta en mi alma / En la ausencia de su Consuelo En la ciega luz de esta ausencia / Caminos de piedra y vidrios nos muestran el dolor en el caminar / En la fuerza del sentimiento de este amor que nos puede matar / Caminito de colores vivos em tiernos suspiros nos hace sonreir / En mis sueños de ojos futuros que miran el lugar de todo el sentido / Las penas quando pequeñas hacen más ruídos que las grandes que nos callam / E mejor tener marcado mi rostro que manchado mi corazón / Quien algo hace puede equivocarse, quien nada hace equivocado ya está / Y antes quedar fracassado do que jamás haver algo intentado / Pues todo el que se cree amigo / Es según el color del cristal que se mira / Y no hará nada muy Bueno / Quien jamás cometer uma Tontería!