Revista CARAS
Busca
Facebook Revista CARASTwitter Revista CARASInstagram Revista CARASYoutube Revista CARASTiktok Revista CARASSpotify Revista CARAS

Juliana Paes: "Não me sinto 100% realizada"

A estrela confessa que o segredo do sucesso é muito trabalho, oportunidade e uma 'pitada de sorte'

Redação Publicado em 14/08/2009, às 13h38 - Atualizado às 14h09

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Juliana Paes - Caras
Juliana Paes - Caras
Por onde passa, a atriz Juliana Paes é o centro das atenções. Estrela da novela Caminho das Índias, na pele de Maya, a bela de 30 anos, e com pouco mais de dez de carreira, confessa que mesmo com todo seu sucesso, ainda não se sente 100% realizada. "Pensava, sim, em ter um reconhecimento profissional. Batalhei muito para chegar onde eu estou hoje, mas não existe uma mulher 100% realizada. A gente sempre quer um pouco mais", confessa ao Portal CARAS em noite de lançamento em São Paulo. Juliana foi a personalidade brasileira mais buscada na internet no ano de 2008, e pelo que parece, será em 2009 também. E como ela lida com toda essa exposição? "Não me olho no espelho e falo: eu sou a Juliana Paes. Não me sinto cobrada pelo público, eu que me cobro pra melharar a cada dia mais. Estou muito feliz profissionalmente e pessoalmente. Isso não significa que eu não quero mais. Acredito que quando a gente se sente 100% realizada, a gente estagna", afirma. A atriz, que é casada com o empresário Carlos Eduardo Baptista, desde setembro do ano passado, revela o que acredita ser o segredo da vitória no trabalho. "Sucesso é uma junção de oportunidade e trabalho, com uma pitada de sorte. Eu tive uma primeira oportunidade na TV, tive sorte, mas depois trabalhei muito, estudei muito. Apesar do foco quase nunca ter sido esse no início da minha carreira. Todos queriam saber o que eu fazia na academia", brinca a bela, que conclui: "Sempre procurei melhorar, me melhorar. Depois é contigo. Se não correr atrás, se não tentar ter conteúdo no seu trabalho, sempre chega outra mais bonita, com mais talento e você vai ficando pra trás".